sexta-feira, 13 de julho de 2012

Poema Ás Vezes Explodimos

POEMA ÁS VEZES EXPLODIMOS


Ás vezes explodimos
mais que uma bomba;
Ás vezes somos mais ferozes
mais que um lobo faminto;
Ás vezes insultamos um ao outro
como tivéssemos a pior educação;
Quase que nos matamos
Ás vezes tão infectado com tristeza
como uma música Blues.

Ás vezes dizemos palavras
como se tivéssemos a ladrar;
Ás vezes comemos
como fossemos animais vistos na BBC;
Ás vezes bebemos
como os animais bebem do chão;
Ás vezes até matamos
como o Holocausto matou a Europa;
Ás vezes morremos para sempre
como a simples flor morre.

Ás vezes sacrificamos
como Abraão sacrificou Isaac;
Ás vezes mentimos
como pinóquio mentiu;
Ás vezes choramos
como quando alguém que vê partir alguém querido;
Ás vezes amamos
como Romeu e Julieta;
Ás vezes criamos
como Leonardo Da Vinci criou;
Ás vezes somos tão artistas
como Deus;
Ás vezes sentimos tanto
como a natureza sente os erros do Homem.

Ás vezes somo egoístas,invejosos
como as sociedades são umas para as outras;
Ás vezes não temos cultura
como os animais mais violentos;
Ás vezes lutamos
como as sociedades do Médio Oriente;
Ás vezes somos tão manipulados
como os E.U.A e a China manipulam o Mundo;
Ás vezes guerreamos
como os piores animais.

Ás vezes vendemos a sociedade
como quem vende legumes no mercado;
Ás vezes vendemos o país aos outros
assim como animais da política;
Ás vezes queremos o Mundo
como o animal quer outro território;
Ás vezes julgamos
como um de raça branca julga um de raça negra;
Ás vezes somos enganados
como Portugal é;
Ás vezes somos roubados
como Portugal é pela Troika.

Ás vezes queremos
como o Governo quer arruinar Portugal:
Ás vezes escolhemos
como os deputados escolhem assassinar o país;
Ás vezes votamos
como os políticos votam na porcaria.

Autor : Carlos Cordoeiro.



2 comentários:

  1. Mt bem bom poema gostei muito

    ResponderEliminar
  2. Soberbo... um explodir de emoções!!! :)


    Cristina Oliveira

    ResponderEliminar