domingo, 23 de julho de 2017

Poema Por Um Punhado

Por Um Punhado de dor
e bastante mágoa, tiraram
aquilo que eu não pude admirar
mesmo sendo meu naturalmente;
Por Um Punhado de tristeza
perda com saudade tornei-me
completamente fora do sítio
actualmente já pareço não ser de onde sou;
Por Um Punhado de batalhas
guerras, e bastantes armas tornei-me
alvo. alvo de tudo que possa ser dor
possa ser confusão e constantes desilusões;
Por Um Punhado que pareceu-me ser
aquilo que quis mas indeciso, por isso
mesmo perdi-me no que queria mesmo
encontrando de forma acidental, mesmo sendo eu, de sempre.




Por Um Punhado que a minha indecisão
de ser algo maior que as estrelas
fez de mim agora ser pequeno
mas grande através das letras e palavras elegantes;
Por Um Punhado de sonhos
que me tornei tão poético mesmo sabendo
que era arriscado sonhar aquilo
que eu apenas pensei de forma utópica ser;
Por Um Punhado pensei desistir
mas pensei que ao desistir não poderia criar
aquilo que faz dos meus dias brilhar
um brilho tão intenso como a luz de todos os dias;
Por Um Punhado de solidão, tristeza, mágoa
penso não ser uma dor constante de mim mesmo,
ou dor de alguém, ou até uma desilusão de alguém
apenas quero surpreender como de antes.


Autor: Carlos Cordoeiro.

Poema Monóculo

Monóculo foi por onde te vi partir pela metade,
a metade que desconheci desde do início,
mas que ainda assim tive a fé em ver o resto,
apenas fiquei pela ansiedade e o desejo;
Monóculo apenas te vi por um
que era tão gigante como tudo isto
mas apenas a verdade era pela metade
por isso meio a meio, como o nosso amor.

Autor: Carlos Cordoeiro.

domingo, 11 de junho de 2017

Poema O Filme Já Não É O Mesmo

O Filme Já Não É O Mesmo
as cadeiras agora estão desgastadas
outras por estrear, outras que nem estão lá
eu penso que filme irei ver
se nem quer está gente apenas aqueles que um dia
vi em fotografias como recordação de anos passados;
O Filme Já Não É O Mesmo
desde que cada um de nós parte
mais cedo que outro, mesmo que o comboio
ainda não chegue para nos levar
ainda assim queremos nos adiantar
por um destino tão negro como o negro da montanha da noite;
O Filme Já Não É O Mesmo
já não sinto o frio da noite
em que estou de passagem entre o frio
e a sala confortável em que vejo imagens
e ao meu lado o amor que sempre quis ter e desejar;
O Filme Já Não É O Mesmo
já nem o sentimento é o mesmo de ver
e sentir-me atraído pelas mulheres belas
em imagens grandiosas à minha frente que me faziam
deslizar pela cadeira cinematográfica da sala.




O Filme Já Não É O Mesmo
a partir do momento que o nosso melhor filme
caiu na desgraça de se tornar história,
a partir do momento que a nossa melhor cena
agora é recordada em conversas de tarde ou noite,
a partir do momento que aquele beijo gigante que vimos
foi o mesmo que nos demos mais em momentos mais íntimos;
O Filme Já Não É O Mesmo
desde que senti que o cinema fazia parte do nosso imaginário
não do nosso diário
simplesmente apenas recordei os nossos momentos
mesmo aqueles mais aborrecidos...mas estava ao teu lado;
O Filme Já Não É O Mesmo
nunca foi, aliás ainda hoje penso mesmo qual
era o filme que vimos, se o filme era o amor, a vida ou a morte,
qual deles admirados mais, qual deles nos despertou mais gosto
apenas quis chorar por saber que nenhum deles me fez feliz
apenas tu que foste uma aparição na minha vida ou no meu ser;
O Filme Já Não É O Mesmo 
é que já não é o mesmo, agora tudo parece inflamável
agora tudo parece mau, dentro e fora do meu coração
agora o filme é de acção mas ao mesmo tempo de terror
apenas tento ter tempo para suspirar e quase que nem consigo
apenas vejo e ouço mas não posso agir, o filme é demasiado real
demasiado directo, demasiado perturbador para os meus olhos
que apenas viam os filmes com finais feliz mas que agora descobrem
que tudo é a preto e branco.

Autor: Carlos Cordoeiro

sábado, 27 de maio de 2017

Roulote 270


Empresa

Roulote 270

Localização

Rua Caetano de Melo 270
Vila Nova de Gaia

Telefone 

+351 223 235 092

Horário

Segunda-feira                11h00 - 22h00
Terça-feira                     11h00 - 22h00
Quarta-feira                   11h00 - 22h00
Quinta-feira                   11h00 - 22h00
Sexta-feira                     11h00 - 00h00
Sábado                           12h00 - 00h00
Domingo                        Encerrado

Especialidades

Prego Pão
Prego Prato
Hamburger Pão
Hamburger Prato
Cachorro
Alheira com ovo Prato
Omelete Pão
Omelete Prato
Kebab

Opinião Pessoal 

Estão com preguiça de fazer a comida? Não vos apetece cozinhar? Querem fazer uma batota e comer algo bom? Não têm ideias?
Venham à Roulote 270!!!
A Roulote 270 é um espaço acolhedor, íntimo mas ao mesmo tempo jovem, alegre, divertido; tem um atendimento muito bom, simpático, honesto, e de uma generosidade.
Eu provei cada especialidade e são todas muito boas, muito mesmo mas a que eu gosto mais e como mais vezes é o Kebab!
Adoro o Kebab daqui da Roulote 270, é qualquer coisa divinal!
Venham a este espaço maravilhoso onde são recebidos com um sorriso, simpatia, diversão, onde todos se dão e conhecem por isso, toca a vir!
Aconselho a toda a gente, vir a este espaço, que desde que abriu, é a nova sensação de Vila Nova de Gaia!!

https://www.facebook.com/Roulote-270-1819161031691578/ Facebook Roulote 270.

sexta-feira, 26 de maio de 2017

Poema Agora Sou Eu

Agora Sou Eu
que também tento lutar
ao teu lado mesmo sabendo que isto
é demasiado doloroso, mesmo sabendo
que isto derrama-se tão rapidamente
que pode explodir a qualquer momento;
Agora Sou Eu
que vejo-te adormecer
para saber que a maldade não faz do teu sono
dores e perdas de tempo
e que fiques numa questão de ansiedade
por isso encosto a minha mão
para te sentires mais protegida e em paz;
Agora Sou Eu
que percebo  mais e melhor
mas também injustamente
que na vida nada é bom a não ser
constantes provações dolorosas
que fazem de nós máquinas;
Agora Sou Eu
que percebo até que ponto na verdade
nunca vivemos, apenas sobrevivemos
a hipocrisia e maldade uns dos outros
simplesmente gostam de esfaquear
e beber o nosso sangue e ainda sorrir.




Agora Sou Eu
sim, agora sou mesmo eu que vejo de perto
vejo de perto tudo isto, toda esta falsidade,
toda esta dor misturada com ironia
e vontade de desistir mas apenas em pensamento;
Agora Sou Eu 
que penso que tudo isto podia ser melhor mas do pior
que penso que isto podia ser melhor mas é ilusão
que penso que isto foi tudo uma miragem
que penso que isto tudo foi doloroso bem cá dentro
mesmo eu não tendo dado conta da ferida aberta;
Agora Sou Eu
que tenho que sofrer também mesmo não querendo,
agora tenho que deixar sair o sangue impuro
agora as feridas têm que inflamar-se
agora quase que sou obrigado a sofrer mesmo que não queira;
Agora Sou Eu
que vejo que a realidade é tão dura
e magoa tanto, ao ponto de me magoar o interior
do meu interior, agora sim sou eu que estou ao teu lado,
agora sim estou mais perto do que nunca,
agora sim estou aqui e posso-te acalmar mesmo que eu não esteja,
agora sim posso sorrir mesmo que por dentro esteja numa dor mortífera,
agora sim posso dizer calma mesmo que por dentro esteja tão agitado
como as águas de um furacão, agora talvez possa dizer que vai tudo correr bem
mesmo que não acredite, ou não tenha esperança mesmo assim por ti...
por ti, tenho tudo,
tenho tudo como força, energia, alegria, simpatia, diversão
mesmo que não esteja assim, mesmo que o meu estado espírito
seja o meu negro possível que nem me vejo a mim mesmo
mas
Agora Sou Eu
que estou para ti,
que estou para te ajudar,
que estou para te embalar,
que estou para te dar mimos,
que estou para te acalmar,
que estou para te adormecer,
que estou para te dar beijinhos,
como fizeste comigo quando eu era criança.


Autor: Carlos Cordoeiro.

quinta-feira, 18 de maio de 2017

POEMA FADO

O lugar que eu abandono
Nunca é pecado
Sinto que te sou mais perto
Mas Ah, olha para nós
Tão distantes como
O nosso amor
Como o nosso desejo.

Mas se eu um dia tentar a minha sorte
saberei que  contigo posso ter
aquilo que só não há na morte
a não ser um beijo fatal
como aquele na hora de despedida
na hora da desgraça, na hora d'agonia.


Autor: Carlos Cordoeiro

domingo, 14 de maio de 2017

PORTUGAL GANHOU EUROVISÃO | PORTUGAL WON EUROVISION


PORTUGAL GANHOU EUROVISÃO ESTA NOITE  |  PORTUGAL WON EUROVISION TONIGHT

quarta-feira, 3 de maio de 2017

Poema Carta

Partiste...isto tudo é tão doloroso
tudo isto é difícil de digerir, porque a dor da saudade
é maior do que não te ver, apenas sinto que isto
continua, cada vez mais, de forma tão corrosiva
por isso quero libertar-me, desde que não me saia mal
afinal nem tu, nem eu, somos o ideal de um amor que nunca
resultou na sua essência, no seu momento por isso ambos sofremos!
Saudade esta que marca o meu corpo, a minha alma,
tudo isto é bastante inflamável, tu sabes isso mas ainda assim
podemos tentar fazer do nosso corpo algo fútil para ver
se a podridão torna-se em novas sementes, em que crescemos novos
para uma vida que nunca mudará, será tão fútil como nós fomos
quando temos que ser alguma coisa, mesmo que de forma imaginada
mas acho que conseguimos projectar possíveis amores.
Este momento foi tão corrosivo como os nossos beijos
beijos estes que estavam  repletos de uma doce hipocrisia
tanta ironia neste beijo que me inundou de distância por ti
mas pensei duas vezes...talvez tenha sido exagerado, talvez um dia
acredito nos nossos encontros que já foram retratados pelas memórias
memórias que cada vez são mais distantes do coração e do amor,
e por isso tento mesmo acreditar que somos algo melhor...digo eu!
Mas injustamente creio que tenho que me despedir mesmo
não sendo a minha intenção fazer das tuas lágrimas, momentos de dor
e de sangue a escorrer na tua alma, mas não gosto de escrever a nossa
despedida mesmo que seja, por segundos, não tenciono fazer das minhas palavras
a dor mais corrosiva no teu coração que foi gentilmente espetado por
amores que te foram desamores, mesmo sabendo que eras a Rosa de um
jardim mais próximo, de um jardim em sofrimento.

Autor: Carlos Cordoeiro.

terça-feira, 2 de maio de 2017

Poema Tento Ver

Tento ver que tudo isto é falso
na medida em que tudo me magoa
mesmo quando prefiro a verdade
embora o sofrimento pareça mais ténuo;
Tento ver que isto tudo é farsa
no momento em que exploro a vergonha
da palavra dita em vão e dos homens
da falsa honestidade e verdade;
Tento ver onde posso procurar um novo mundo
novo este que posso tentar viver nele
mesmo que...a dor do desconhecido
seja maior do que tentar viver melhor;
Tento ver se posso tentar aproveitar o tempo
mesmo que este seja pior que a areia
porque escorre mais rápido, escorre de forma dolorosa.




Tento ver o que fazer das minhas lágrimas sangue
sangue este tão doce como a amargura de querer
mais, de querer viver aquilo que não existe
por isso recordo a amargura de viver o esquisito;
Tento ver aquilo que perdi através
 da recordação de momentos a preto e branco
ou então choro na cruz de quem partiu
mesmo quando era cedo demasiado para nos despedir;
Tento ver se isto tudo é meu
desde do coração mal amado,
até ao beijo roubado,
em dias de desespero e solidão sentimental;
Tento ver se tudo isto valeu a pena
ou então senão foi uma mágoa tão pura,
que não quis acreditar se era verdade ou não
mas simplesmente continuei neste sonho doloroso que é a vida.

Autor: Carlos Cordoeiro.

sábado, 8 de abril de 2017

Poema Amor Porque...

Amor porque te encontras
com a impossibilidade de seres eterno,
quando tu mesmo te consomes?

Amor porque te achas completamente por inteiro
se te vivem por metades? se te vivem aos pedaços?
Porquê? Diz-me! Diz-me lá, porquê?
Porque te achas tão poderoso? És capaz de me dizer?

Amor porque te achas capaz de me destruir completamente?
Porque te achas tão especial? Tão forte? Tão intenso?
Nada de ti é tão poderoso, como a tua força que só nos separa,
aliás tu separaste-me de ti, isto foi tão corrosível!

Amor, tu em mim consegues tanto, como de nada,
fazes de mim falar como tivesse qualquer problema...achas bem?
Se és algo bom, porque fico atrapalhado? Se és algo belo porque me sinto
mal? Porque me sinto sem forma? sem corpo? Também o és assim? 

Amor se sinto-te tão fortemente, bem dentro de mim no meu coração,
porque é que tudo isto não se torna verdadeiro? Porque não sou eu mesmo
naturalmente? Porque falo de forma parva? Porque falo o que não devo
e não olho de frente? não olho de frente para ti, quando me amas também?

Amor, és tão mas tão intenso que nem sei se te vivo de forma intensa ou
simplesmente te deixo morrer por aí, como deixei morrer por oportunidades que
tive mas não aproveitei, por isso prefiro deixar correr, se calhar poderá ser melhor não?
o que achas? Poderei eu deixar o amor fugir? Mesmo que ela seja o melhor? E o sofrimento?

Autor: Carlos Cordoeiro. 

AMOR (FRASE)

"Amor porque te encontras com a impossibilidade de seres eterno, quando tu mesmo te consomes?"

Carlos Cordoeiro.

segunda-feira, 3 de abril de 2017

Poema Prefiro

Prefiro tentar sonhar mesmo que isso
seja falso ou utópico mas assim não
penso na desgraça, não penso que poderia ser pior,
não penso que iria chorar constantemente
que ia sangrar tanto pela tristeza dos que partem injustamente;

Prefiro estar comigo mesmo pois assim
tudo parece mais fácil, tudo parece mais verdadeiro
tudo parece mais genuíno, se acordar? Parece que vejo
a guerra, o ódio, a inveja, o ciúme em tudo de forma espelhada
por isso prefiro guardar em mim mesmo a pureza da alma;

Prefiro chorar por mim, prefiro estar triste, prefiro
sentir-me na escuridão do conforto que me faz
sentir maior, porque tenho a ilusão da minha alma
ser maior do que realmente é, mas sinto-me melhor
de saber que posso escrever, mesmo na escuridão;

Prefiro acordar de forma dormente, como que anestesiado,
mesmo que não perceba a realidade, percebo o meu
caminho, prefiro sentir-me adormecido acordado para a
sociedade não ver em mim um alvo, ver o bem que quero
transmitir mesmo que de forma crua, mesmo que de forma apetecível.

Autor: Carlos Cordoeiro.

quarta-feira, 1 de março de 2017

Poema Fica

Fica
mais um pouco, para os segundos serem minutos ou mais,
fica aqui comigo para sermos mais do que um hoby,
e assim fazemos isto durar um pouco mais,
mais que um encontro seja aqui ou através de selfies,
podemos agora nos encontrar? Preferes jardim? Metro? Casa?
Eu gosto de te ver em qualquer lado, és bonita sempre, agora e sempre;
Fica aqui comigo intensamente como um fogo eterno,
podemos nos incendiar mas onde preferes? Tens preferências?
tens gosto? Tenho-te como chama eterna, como algo que me acende
posso fazer de nós luzes belas, de nós luzes novas,
posso fazer tudo que nos dizem ser proibido, és tão real;
Fica aqui, como eu fico para ti todos os dias,
posso estar longe de ti, mas penso sempre em ti, as estrelas recordam-nos
como momentos intensos que eu não posso esquecer, é tudo demasiado
forte, é impossível esquecer-me de nós,de ti, de tudo isto que vivemos
inocentemente mas de forma tão louca e explosiva;
Fica
por aqui que estás melhor, estamos os dois,
não precisas de ficar assim, tímida, somos os dois um,
somos algo que juntos dá uma boa combinação
seja de dia, tarde ou noite...prefiro sempre mas contigo
contigo sou mais feliz, sortudo, tolo, sinto-me mais tolo por ti
por ti, cometo loucuras saudáveis, daquelas que anseias e gostas.




Fica por perto que quero contar-te um segredo
o segredo que és intensamente minha por és um vício
vício este que gosto de ter cada vez mais, mesmo que seja mau
embora adore sentir-me pedrado por ti, é algo que não dá para explicar
apenas senti que tudo isto é bom demais mas nunca me canso
nunca me irei cansar, é impossível depois de te conhecer;
Fica
podemos tomar um café, gostas? Eu gosto se junto
estiveres lá, tipo MENU, acho  uma boa combinação,
aposto que gostas de misturar amor com café, tudo quente
quente intensamente, podemos ficar assim, mas não podemos arrefecer,
somos demasiado escaldantes para o frio ser de nós o amor por isso Amo-te,
Ficapara eu poder Amar-te de forma intensa, de forma
a ver e sentir os detalhes que eu gosto incrivelmente de sentir
és demasiado bela para eu deixar partir uma pessoa como tua, deixam os meus
dias escorregadios, dias em que não me sinto bem, por eu te admirar
admirar loucamente, tudo isto é intenso, mas é assim que eu gosto;
Fica
um pouco mais, para eu poder explicar o que
há de bom entre nós, não tenhas receio somos
bons, incríveis quando estamos juntos, quando somos um
acredita em nós, nos nossos corpos que são perfeitos
e são tão belos quando dançam juntos entre lençóis macios
como macios são os nossos beijos, as nossas sensações.

Autor: Carlos Cordoeiro.

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

Sinto Isto A Chegar

Sinto Isto A Chegar
o nosso amor, por isso podemos estar mais próximos
por isso podemos estar mais pertos como as estrelas
de nós, como o céu de nós, como todo o Universo junto a nós
por isso
Sinto Isto A Chegar
esta sensação incrível de te poder amar,
sem ser censurado, e libertar-me em ti,
e sentir que contigo posso estar e ser bem,
saber que contigo
Sinto Isto A Chegar
este nosso amor tão intenso,
tão verdadeiro, tão brilhante como as estrelas,
como o nosso amor o é, como tudo isto
em nós é brilho, intensidade e força em amor
Sinto Isto A Chegar
é complexo de explicar mas sei que é forte,
maior que a nossa força, maior que tudo em nós,
tudo em nós é intensidade em que dificilmente
posso te explicar apenas te sinto intensamente
com o meu corpo, com o meu olhar.




Sinto Isto A Chegar
que posso acho eu...chamar amor?
é estranho eu tentar fazer de ti minha rainha
mesmo que não o saibas, mesmo que não saibas que
estou aqui, acho que fico um pouco tonto,
fico um pouco a estranhar tudo isso,
Sinto Isto A Chegar
com uma intensidade brutal, mas espero que
eu seja suave nos toques e beijos a ti, afinal tudo isto
é tão brutalmente apetecível, tão fortemente intenso
que quando te agarro sinto-me tonto de tanto sentir-te;
Sinto Isto A Chegar
como uma espécie de presságio
talvez seja sinais, o destino, mas sei
que podemos ser mais do que isto
troca de olhares, de mensagens, e de sms
ás altas horas da noite,
Sinto Isto A Chegar 
como fosse inevitável todo este nosso amor
explodir loucamente entre nós intensamente
sem magoar os nossos corpos que agora são como um ferro
unido por parafusos amorosos, e que só nos partimos
quando um de nós estiver enferrujado e partir,
por isso tudo isto é duro e com o calor ainda aumenta mais,
por isso tudo espero que sejamos o melhor de nós mesmos.


Autor: Carlos Cordoeiro. 

sábado, 11 de fevereiro de 2017

Poema Reparei

Reparei que eras tecida por
dor, mágoa, tristeza mas que ainda assim
a teia é dura como a força, vontade, amor
carinho e uma aurea grandiosa;
Reparei que as batalhas foram sempre duras,
fortes, agressivas, intensas, injustiças, mas ainda assim
reparei que és tão ou mais forte que uma pedra
a tua dureza fez de ti um escudo, um pouco frágil;
Reparei que as lágrimas queimaram o teu rosto,
e um pouco a tua alma mas...oh menos, ficaste
melhor, mesmo que aparentemente, oh menos as tuas
lágrimas fizeram de ti mais forte, mais pura, mais grandiosa;
Reparei que a dor fez de ti inclinar, inclinaste
perante a inveja, o ódio, ciúme mas fogo és tão grandiosa,
sofreste? E de que maneira...mas caramba és pedra
dura, energia boa e teu brilho é grandioso, é intenso
como tudo isto que viveste até agora, até este preciso momento.


Autor: Carlos Cordoeiro

Poema Serei Teu

Serei Teu
como as flores são do campo,
como o barco do mar,
como o rio da montanha,
como o amor de nós os dois;
Serei Teu
como assim deve ser
até que as estrelas morram,
até que o sol se apague,
até que a água deixe de correr,
e os nossos corações de bater;
Serei Teuassim como serão os nossos beijos
assim como os nossos corpos,
assim como a nossa eterna beleza,
assim como o nosso longo amor;
Serei Teuaté que a morte nos separe,
até que a solidão seja inimiga,
até que a tempestade nos mate,
até que a saudade nos leve para longe.




Serei Teueternamente como todas as minhas palavras,
eternamente como todos os bons momentos,
eternamente como todos os sorrisos teus,
eternamente como o prezar de te tocar;
Serei Teuaté um dia a escuridão for eterna,
até uma dia não ouvir mais a tua voz,
até um dia que não te sinta mais,
até um dia que não te consiga ver mais,
até um dia que não te possa ter mais ao meu lado;
Serei Teuaté que tudo pareça perfeito,
até que tudo pareça eterno,
até que tudo pareça ser sempre contínuo,
até que tudo pareça como fotografias de memórias;
Serei Teu 
até o tempo fazer de nós passado,
até o Sol fazer de nós memórias iluminadas,
até a Chuva fazer de nós lágrimas dos que nos amam,
até a Brisa fazer de nós uma breve passagem pelo tempo.


Autor: Carlos Cordoeiro.
(Escrito enquanto ouvia: Arctic Monkeys - Baby I'm Yours)

quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

LICEU ALEXANDRE HERCULANO, PORTO

    Já se sabe que ao longo de várias décadas, no Porto e no país vários monumentos sofrem uma degradação notória, ficam ao abandono, à vandalização, à destruição que por vezes é intencional, ao roubo do património caso esteja presente dentro destes monumentos ou fora, assim como ao desinteresse presente pelas entidades responsáveis que devem actuar neste tipo de situações e não o fazem e quando há intervenções, por vezes nem sempre é melhor prejudicando gravemente o edifício em questão ao ponto de as estruturas iniciais serem alteradas ao ponto do desenho do edifício ficou um pouco diferente.


Em relação ao Liceu Alexandre Herculano, Porto, para quem não sabe e também curiosidade, digo aqui que foi desenhado pelo Arquitecto Marques da Silva, portuense (aspecto a salientar) e por acaso este mesmo Arquitecto fez obras como:
- Monumento aos Heróis da Guerra Peninsular (no meio da Rotunda da Boavista, Porto),
- Edifício A Nacional (nos Aliados, Porto)
- Estação Ferroviária de São Bento, Porto
- Casa Atelier Marques da Silva (no Marquês, Porto)
- Teatro Nacional São João, Porto
- Grandes Armazéns Nascimento (onde agora é a FNAC na Rua Passos Manuel, Porto)
- Liceu Alexandre Herculano, Porto
- Liceu Rodrigues Freitas, Porto (nome original Liceu D.Manuel II)
entre outros projectos
(...)


    O Liceu Alexandre Herculano, foi desenhado pelo Arquitecto Marques da Silva.
    O Liceu Alexandre Herculano foi começado a construir em 1916 e concluído em 1921, na Avenida de Camilo, Porto, Portugal, ou seja é do século XIX.
    Actualmente este Liceu já tem 96 anos de existência, ou seja, foram 96 anos,a formam alunos e alunas de várias classes socais, de várias zonas do Porto, bem como a formar mentes brilhantes da sociedade portuense e do país ao longo destes anos todos.
    Este Liceu, é um dos mais importantes do país a par de outros, como se sabe, é escusado fazer apresentações visto que este tipo de Liceus esteve muito presente no Portugal do Estado Novo, ou seja, era comum, efectivamente haver liceus para rapazes e outros para raparigas.
    Como toda a gente sabe, vários monumentos, igrejas, catedrais, escolas, edifícios, estações, lojas, marcas, entre outras coisas que façam parte do Património Histórico, pela UNESCO, em parte sofre sempre uma degradação que é visível e isto aconteceu (por incrível que pareça) no Liceu Alexandre Herculano.
    Está bem.que até pode não haver verbas, pode não haver meios para se começar obras de requalificação, pode não haver entidades competentes interessadas na recuperação de escolas antigas mas que fazem parte da história e da cultura de uma cidade. pode haver inúmeros motivos para que ainda não se tenha feito as devidas obras de recuperação no "Alexandre", mas também sei que nada é impossível, há sempre uma solução, agora depende é da solução que estamos a falar...senão intervêm pessoas do ramo político, do ramo privado entre outros aspectos que pouco ou nada ajudam quando se trata de recuperar edifícios históricos.
    Isto não é de agora, aliás no ano 2009, já se notava várias deficiências em termos de arquitectura, infiltrações, entre outros aspectos que faziam com que a escola já assinalasse defeitos, problemas que mais tarde, ou seja este ano, iam-se tornar cada vez mais notórios.
    Se pensarmos, fazendo uma comparação por exemplo, a saúde...então vamos pensar, se uma pessoa têm problemas de saúde e se não houver os cuidados mínimos a situação piora até que chega a um ponto que não há recuperação possível, é exactamente igual ao Liceu Alexandre Herculano.
    A questão aqui nem é tanto o facto de ser um Liceu Histórico (Liceu Alexandre Herculano), bem como um Arquitecto Histórico (Marques da Silva) obviamente que isso ainda contribui mais para a incredulidade de como está o Liceu, mas acho que é uma questão histórica, humana, social, cultural, económica e até política, de se recuperar os edifícios históricos, os edifícios que por alguma razão contribuíram e ainda o contribuem  para o legado educacional de uma cidade, neste caso o Liceu Alexandre Herculano, não é um mero edifício, ele tem uma história por trás, bem como uma sociedade, daquela época, com características muito próprias, ou seja, este edifício faz parte da história...e como não bastasse todo este problema, ainda há aquela febre louca dos hoteis em todo lado, e todas as ruas, da Cidade do Porto, ou seja, basicamente o que estou a dizer e quero realmente dizer é que espero que o Liceu Alexandre Herculano não seja mais uma ideia louca de se tornar Hotel porque se isto acontecer então definitivamente está tudo perdido, e tudo louco, porque por mais abandono escolar que possa haver nos próximos anos, escolas serão sempre escolas, além disse o Arquitecto Marques da Silva fez este Liceu com o intuito de servir os alunos, ou seja, ser um espaço de aprendizagem, que nos dias que corre cada vez se torna mais surreal e utópico, para finalizar apenas digo que ainda tenho alguma esperança na minha cidade, o Porto no que toca a futura recuperação deste Liceu.

Autor: Carlos Cordoeiro.

segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

Poema Não Te Separes de Mim

Não Te Separes de Mim
mantens a minha alegria,
mantens a minha estupidez,
mantens a minha alegria e humor,
mantes tudo de bom que há em mim;
Não Te Separes de Mim
fazes das minhas palavras
mais poéticas, mais reais, mais tolas
mais parvas como nós os dois
com conversas no sense fazzendo-me rir;
Não Te Separes de Mim
pois adoro as nossas longas conversas,
os nossos disparates e claro as
nossas mútuas teimosias que chocam
fazendo de nós grandes amigos, mesmo
que as distâncias sejam maiores que a nossa loucura;
Não Te Separes de Mim
somos a Arte em palavras, em realidades, em justiça,
somos o pensamento crítico, pelo meio parvoíce,
somos amigos das horas estreladas e dos sonos profundos
que na manhã seguinte nos cumprimentamos.




Não Te Separes de Mim 
somos discussões acesas como chamas,
do pior incêndio jamais visto, somos peixeiros
e mal dispostos, na saúde e na doença, somos
por vezes as mais belas flores das Primavera;
Não Te Separes de Mim
fazes-me bem, fazes-me sentir bom, humano,
fazes-me sentir real, que existo, que sou algo como
pessoa como Arte, fazes-me bem com o teu humor e
loucura perdidamente contagiante;
Não Te Separes de Mim
somos brilhantes como as estrelas que admiramos,
somos planetas que adormecemos em Artes reais,
somos Vias Lácteas inteiras quando admiramos a simplicidade,
somos Galáxias de excentricidades em conversas e bons momentos;
Não Te Separes de Mim
por mais que eu seja insensível,
por mais inseguro e mau carácter possa ter,
por mais que desvalorize a pessoa que és,
por mais que não te ouça,
por mais que não te admire,
por mais que te despreze,
por mais que te ignore,
por mais que te renegue,
por mais que te rejeite,
por tudo isto por favor peço-te sejamos amigos
por eternidade, imaginada e realizada.

Autor: Carlos Cordoeiro.
Dedico a ti, Amiga.

domingo, 15 de janeiro de 2017

Poema Eu Preferia Ficar Cego

Eu Preferia Ficar Cego
do que saber que a verdade dói,
dói tanto ao ponto de não saber como lidar
com tudo isto, e já nem sei se é amor,
tudo isto que sinto por ti;
Eu Preferia Ficar Cego
do que te ver com outro
em vez de me amares, como eu
te amo, desde sempre, não me sinto bem
quando te vejo a amar outro homem;
Eu Preferia Ficar Cego
do que saber tudo isto assim
desta forma cruel, desta forma dolorosa
que faz o meu coração arder
arder mais do que da primeira vez que te vi;
Eu Preferia Ficar Cego
do que saber que não me amas como antes,
que já não acordas feliz como antes,
que a luz do sol já não te é a mesma
que o sentimento já desvaneceu,
que as palavras agora já não te são especiais,
que o amor agora já pareça banal como os nós os dois.




Eu Preferia Ficar Cego
do que sentir esta amargura tão constante,
este gélido momento que teima a ser
todos os dias, sempre que me lembro de ti,
e por isso isto torna-se o meu castigo;
Eu Preferia Ficar Cego
visto que eu já sei que já não somos dois,
que já não somos amor, que não somos união,
que já somos dois amores felizes, que banhavam-se
pelas luzes, pelo dia, pelas montanhas, pelo ar,
pelos momentos que agora em rapidez recordo;
Eu Preferia Ficar Cego
do que ver esta verdade, isto que dói,
tudo isto que me escapou faz-me ter o coração como sangue
o sangue demasiado duro que me destrói
e por dentro fico estilhaçado, fico partido,
fico partido com a tua partida;
Eu Preferia Ficar Cego
do que ver a nossa partida,
tu para um lado, eu para o outro,
preferia não ver a dor de não estares cá,
preferia não ver a mágoa que agora sinto,
preferia não ver a dor que até está cá fora,
preferia não sentir tudo isto que me corrói
constantemente, preferia não chorar a despedida,
preferia não chorar o que eu perdi, preferia não chorar isto,
preferia não me magoar, não te magoar, não te perder,
não te perder de mim como perdi momentos tristes,
como perdi momentos especiais, como perdi a intimidade contigo,
como perdi momentos de amor, um amor mais próximo,
como perdi momentos de tanta doçura e carinho
que vi esvoaçarem como as folhas de outono.


Autor: Carlos Cordoeiro
Poema escrito enquanto ouvia: Etta James - I'd Rather Go Blind

quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

Poema No Amor

No Amor
fomos completamente loucos, uma loucura
que eu mesmo quis repetir todos os dias,
uma loucura que fazia de nós loucos
do amor, um amor que todos viam mas só nós sentiamos;
No Amor
sentimos tudo tão naturalmente
como o sol que nos brilha na cara
todos os dias, todas as manhãs quentes
e nós ainda acordamos entre lençóis de amor,
lençóis enrolados nas nossas curvas;
No Amorestamos completamente em sintonia,
somos uma música completamente afinada,
por isso nos envolvemos de forma ritmada,
tudo em nós é demasiado vibrante, tocante,
chocante, amoroso,
No Amor
somos uma união perfeita, como que um círculo,
um círculo tão perfeito como o nosso amor,
um amor que nos faz chorar, nos faz alegrar,
dizer parvoíces, dizer disparates, e até mesmo
sussurrar ao ouvido o mais loucos dos desejos.




No Amor
tudo sentimos de forma intensa, poderosa,
tudo isto parece real,  nós somos o sonho
de um amor molhado, de um amor vivo,
de um amor querido, um amor com vontade;
No Amorfez do nós um casal que dança à chuva,
um casal completamente louco um por outro,
que somos metade um do outro, completamo-nos
quando o nosso beijo faz de nós um;
No Amorsomos um doce amargo dependendo dos dias,
somos o chocolate um do outro,, és o meu açúcar,
sou doce pois fazes de mim uma pessoa mais doce
uma doçura que deixa-se derrente no teu chocolate quente;
No Amorsou derretido por ti, sou pior que a manteiga
derreto-me tanto que me deixo cair sobre ti
e os nossos corpos encontram-se através de beijos,
abraços, e toda uma dança de um amor intenso,
que apenas nós sabemos fazer e sentir como ninguém.


Autor: Carlos Cordoeiro.

terça-feira, 10 de janeiro de 2017

Poema Sem Ti

Sem ti os dias são mais lentos,
mais lentos que uma dor que lentamente
me consome até aos ossos
mas que pode demorar anos a fio;
Sem ti tornei-me mais vazio,
mais nada, mais branco, mais preto,
mais vazio, mais zero, mais inexistente,
por isso a dor é tão maior quando me lembro;
Sem ti sinto-me distante de tudo que quero amar,
de tudo que quero sentir como reconfortante,
como algo que me preenche o coração, que me preenche a alma,
algo que eu sei que fará de mim alguém mais cheio;
Sem ti acho que o desejo torna-se veneno,
o amor torna-se ódio, a alegria torna-se tristeza,
o carinho torna-se o desprezo, e a vida
torna-se morte, morte que lentamente me consome
por talvez não fazer de ti o amor principal e único que sempre quiseste.




Sem ti os dias são mais escuros
como as tardes de inverno em que ansiava a luz
como a luz do nosso amor que nunca aconteceu
apenas foi imaginada demasiada vezes, mas pronto;
Sem ti eu tornei-me mais frágil
mais frágil que a própria vida, que o próprio amor,
que o própria sangue que me faz circular pela vida,
tornei-me mais frágil sem aquele amor que desperdicei
e que julguei ser impossível daí não tentar;
Sem ti senti-me menos humano e mais animal
que foi completamente desperdiçado e não atraído
pela força e beleza dela que me quis e eu a
deixei-a ir como que o vento a tivesse levado;
Sem ti os meus dias pioraram
pois acreditei não querer-te mas enganei-me
pois o meu amor por ti foi maior, mas a vontade foi menor
por isso o perdão derreteu-se pela vontade inexistente,
por isso o amor esvoaçou-se.

Autor: Carlos Cordoeiro.