quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

Poema A Dureza

A dureza é aquilo que verdadeiramente
se sente e que nos faz ficar ácido;
a dureza é fingir que somos ferro
quando uma simples discussão nos parte;
a dureza é a pessoa agir como guerreiro
e interiormente só grita e chora;
a dureza é o punho ser forte
mas na verdade sente qualquer nervosismo;
a dureza é o sentimento que se têm
quando não sequer admitir fraquezas;
a dureza é fingir o que não se é;
a dureza é aquilo que não sentes verdadeiramente.

A dureza é quando falas demais
como se tivesses razão nas palavras;
a dureza é quando te julgas superior
e sabes que não és;
a dureza é quando te julgas inteligente
mas só para impressionar;
a dureza é aquilo que tu aparentas ser;
a dureza é aquilo que é teatro;
a dureza só existe na Natureza!.

Nenhum Homem é duro como a rocha;
Nenhum Homem é forte como os grandes
animais da terra e do mar;
Nenhum Homem é valente como as
tartarugas bebés que partem para o desconhecido;
Nenhum Homem é grande como girafa;
Nenhum Homem é enigmático como a selva
que cobre a civilização actual que não existe!;
Nenhum Homem é tão fantástico como
as profundezas do Oceano;
Nenhum Homem é tão quente como
o calor de um vulcão....percebes?
percebes ó tu Homem ?
dá-te ao teu lado pequeno, vocês
são muitos mas pequenos.

Oh Homem que pretendes?
Que pretendes tu dominar o que não consegues?
Porque querer a Natureza em tua posse
se tu fazes parte?
Maldita a hora que os interesses surgiram.

Maldita a hora que o Homem
julgou-se superior á Natureza;
maldita a hora mesmo!

A dureza da Natureza
é ser ela como é;
é ser forte, ser poderosa, ser verdadeira;
é ser o que é, ter o poder que tem.

Autor : Carlos Cordoeiro.

sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

Poema 2012 (fim do mundo)

Se o mundo acabasse realmente teria tanto para fazer
tanto para dizer, tanto por amar, tanto para viver;

Se o mundo acabasse.....
não podia dizer ás pessoas
que as amei, que as senti
como próximas, como queridas, como amigas.

Se o mundo acabasse não podia fazer tudo 
que queria e sonhei sempre há tanto tempo;

Se o mundo acabasse não podia amar,
não poderia amar os que realmente amo,
não poderia ficar com borboletas no estômago, 
não poderia sentir-me triste por quem não me ama,
não poderia sorrir pelo verdadeiro amor,
não poderia escrever poemas de mágoa,
não me poderia sentir tímido no amor,
não me poderia atrapalhar em frente
ás pessoas que intensamente desejei,
seria dificil sentir o amor tão intenso
como ele é realmente, como ele faz nos estar,
seria sentir o coração tão forte
como o amor é quando verdadeiramente se sente.

Se o mundo acabasse não podia ser a criança,

a criança que eternamente brinca ás pinturas e poesias,
a criança que constantemente sonha em ser poética,
a criança que gosta de viajar mesmo que seja só com a imaginação,
a criança que gosta de, ás vezes, fazer asneiras,
a criança que chora quando é magoada,
a criança que exagera em certas brincadeiras,
a criança que ainda tem medos,
a criança que sonha ter muita coisa banal,
a criança que gostas de todo o tipo de bichinhos
a criança que sonha um dia ser alguma coisa.

Se o mundo acabasse não podia ser poeta amador,

não podia escrever para desabafar,
não podia escrever o que realmente sinto
neste coração tão duro como uma pedra
que apenas sente amor e amizade da família e nada mais;
não podia ser poeta da simplicidade,
não podia ser poeta do amor
do amor inexistente na minha vida imaginária
onde não houve alguém a sentir algo por mim;
não podia escrever de forma tão sentida, tão transparente
tão dolorosa quando de o amor inexistente falo;
não podia desabafar com as folhas
onde estão escritos os sentimentos falhados;
querem maior dor do que esta?
querem maior dor do que apenas ser sincero sentimentalmente
numa folha que nos recebe mas nada pede em troca?
querem maior mágoa do que aquela
que a cada dia que passa queima a folha de tão ácida que são as palavras ?
querem tamanha verdade, como tudo que escrevo, mais com o coração do que
com a caneta que timidamente deixa escorrer as verdades ?
querem maior sentimento do que aquele
quando se escreve as fraquezas na poesia?
Ai, meu D-us são tão delicado, tão frágil
como o cristal que faz um barulho tão agudo
quanto o medo que me está no corpo;
Ai meu D-us se o mundo acabar ...não posso ser jovem poeta
mesmo de palavras duras, frias,distantes e demasiado verdadeiras.

Se o mundo acabasse não podia dizer as verdades
as verdades de que tudo aparenta ser frágil;

a verdade que o amor
é demasiado sonhador;
a verdade que não há justiça
nunca houve;
a verdade que o mundo é um mega jogo
de politica, dinheiro e mágoa e dor;
a verdade que todo o Homem de agora
é tão banalizado pelas coisas materiais;
a verdade que o amor verdadeiro
foi apagado pelas coisas banais;
a verdade que já nada é igual
nunca foi,nem será tendo como base os jovens;
a verdade que já não há civilização
apenas o cumprimento das leis,
a verdade que tudo é muito superficial
que tudo é muito banal, que é muito radical
nada é feito com humanidade.

Se o mundo acabasse eu faria muita coisa...
namorava, amava, casava, fazia filhos
concretizava sonhos ........MAS quer dizer.....
porquê medo de morrer ?

eu já morri há muito tempo!
Morri no momento em que ninguém é verdadeiro,
morri no momento em que ninguém se ama,
morri no momento em que deixei de acreditar,
morri no momento em que deixei de sonhar,
morri no momento em que deixei de acreditar no meu país,
lamento.

E se o mundo sei lá.....acabasse mesmo?
que acabasse,assim haveria uma renovação
e limpava-se a porcaria que neste mundo há
que não é assim tão pouca.

Autor : Carlos Cordoeiro.

quinta-feira, 20 de dezembro de 2012

Poema Sono

Sono é quando durmo naquilo
que não quero saber mais;
sono é quando deixo-me derreter
até desaparecer;
sono é aquele aborrecimento
que sinto por ti quando te tornas
repetitiva;
sono.......sono é aquele fechar de olhos
que te faz aquecer o corpo e dormir.

Sono é aquilo que te impede de pensar;
sono é a palavra chave do sonho;
sono é a preocupação de querer o bem
do corpo e a alma estarem renovados;
sono é aquilo que tu estupidamente
fazes mil e um horas por dia;
sono é a capacidade poética de dormir
nas palavras que te embalam.

Sono é a capacidade de fazer sonhar
até a pessoa mais triste;
sono é a capacidade de ficar bem;
sono é a capacidade de adormecer.

Sono é quando adormeces
e sentes alguém ao teu lado
a amar-te a sentir-te
a querer-te,desejar-te como pessoa
como tu és, como tu ages;
essa pessoa partilha contigo o amor,
essa pessoa quer-te mais que tudo,
essa pessoa ama-te verdadeiramente,
essa pessoa sabe o quanto especial és,
essa pessoa sabe que tu és carinhoso
essa pessoa sabe que tu queres estar sempre assim,
no amor, na paixão, no eterno abraço.

Sono é tudo o que não acontece
no teu dia-a-dia;
sono é tudo que te inspira
em sonhos surreais;
sono que faz de ti
uma pessoa melhor
uma pessoa sonhadora
e amada.


Autor : Carlos Cordoeiro.

Poema Vento

Oh meu querido vento
porque sopras tu
nas frágeis casas que o Homem
criou?
porque és tu tão aborrecido ?
porque és tu tão frio?
porque deixas tudo desarrumado ?
não achas que deves te acalmar ?
na época dos descobrimentos tu
empurraste as naus portugueses.

Oh vento que tanto és
frio como quente;
que tanto poderoso és
como calmo;
gosto de ti, especialmente na primavera
quando no campo deito-me
e tu passas-me pelo corpo, obrigado.

Oh vento passa pela mente
passa pelo corpo
passa pelo coração
varre a memória maligna.

Oh vento que não tem cara
mas tem força;
oh vento tu que me queres
ver a voar conforme
os amores voam;
Oh vento gostava que a nossa relação
mais refrescante mas não fria
apenas suave, uma brisa suave.

Vento sejamos amigos,
sejamos íntimos nos sonhos;
sejamos compreensivos
sejamos amantes de leitura poética;
sejamos leitores os dois á luz do dia
e á luz das estrelas.

Oh meu querido vento
sê meu amigo
dá-me o teu sopro de amizade.

Autor : Carlos Cordoeiro.

Poema Liberta

Liberta-me da dor de sentir o que eu não quero;
não quero fazer das minhas lágrimas a tua felicidade;
eu um dia posso te agradecer por alguma coisa;
um dia eu posso sentir-me em dívida para contigo?;
tu sabes que tudo foi sentido, tudo foi puro;
sabes que nunca te prendi o lado nenhum;
sabes que sempre te amei como tu a mim;
sabes que eu por ti irei caminhar até ao infinito;
tu sabes que eu te amo, que te quero, que te apoio:

Agora liberta-me
agora liberta-me deste sentimento;
agora sai, sai de mim
não te quero em mim, sai ó amor falso;

Liberta o sentimento falso
que há entre nós;
liberta o que não existe
entre nós enquanto pessoas;
liberta as sensibilidades
dos sentimentos que não existem ;
liberta-me desta suposta união.

Autor : Carlos Cordoeiro.

segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

2ª Exposição : Olga Santos Galeria, Porto

                                                      "Coletivarte, Natal 2012"
                              no âmbito da época natalícia na Olga Santos Galeria,Porto.
                                        Exposição patente de 7 a 30 Dezembro 2012.



           


1ª Exposição : Olga Santos Galeria, Porto

 Colectiva de Desenho, no âmbito da Trienal Desenho'12 na Olga Santos Galeria,Porto.
  Exposição patente de 9 a 30 Novembro 2012


 


segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

Poema Direitos Humanos (com inspiração de Guernica,Picasso)

Que guerra tão estúpida
Quantas mortes, quanto sentimento causado,
tão grande foi a brutalidade
como a Arte é tão grande entre nós.

Bomba brutal que arrasou
bomba que explodiu
a identidade, a cidade, a paz;
bomba que fez sofrer
e soltar gritos de mágoa,
tanta dor causada
em apenas poucos minutos,
porquê? porquê tal acto?
tal maldade?, ainda me querem convencer
que as pessoas mudam,
quando o dinheiro e a politica estão unidos...
nada mais interessa.

Ai...maldita a hora que a bomba foi criada
que as máquinas aniquiladoras surgiram,
maldita a hora em que o gosto pelo
dinheiro, politico, jogos de poder ultrapassam
as verdadeiras preocupações;
não me peçam, não me peçam para compreender
o que é incompreensível e lamentável;
não me façam acreditar  que tudo é para o bem
da Humanidade....e tanta dor por aí anda
disfarçada pela falsa caridade.

Oh...não é só em Guernica que a dor foi gigante
Hiroshima, Holocausto, Escravidão, tudo isto e muito mais
é relembrado na data que aconteceu, não há respeito
todos se ignoram, todos se desrespeitam, todos se atropelam
todos querem sempre mais e mais, mas não vêem os outros;
ah é muito bonito ajudar no Natal e na Páscoa.....é tudo aparência.

Que tipo de sociedade se diz alarmada
para as coisas sociais se nada fazem!
estamos em crise? África tem mortalidade infantil
para estes mundos o pão é como o milagre:
raramente se vê!, o que para nós é normal
para o Terceiro Mundo é uma necessidade!
Ajuda é muita mas melhorias poucas.

Passando pelo Médio Oriente que realidade
queres ver?, mulheres presas em si mesmas e na sociedade,
presas no medo de morrer na praça pública,
liberta! liberta esta lei, esta regra
liberta a mulher da sociedade limitada pelo
vicio do poder, por favor, que mentes são estas?,
que fazem das mulheres lixo barato?
Gritemos por um fim nisto, que revolta! que desgosto!
Que revolta que sinto interiormente e socialmente
por estar tão longe, quem me dera eu mesmo ajudar!

Que arrepio social e espiritual me dá ao ver:
mulher escravas, crianças escravas, trabalhos forçados.
condições nenhumas!, tudo do mais simples 
nada interessa, tudo é banalizado
que o medo corrói - sei eu disso! vamos acabar
com isto!, vamos valorizar tudo e todos.

 Raça para mim é só uma!, somos todos iguais!
 a pele pode ser diferente e?
 todo o negro é bonito!
 toda a diferença é bonita e aceite, por mim é!
 para mim tudo é igual, tudo é aceite, tudo se adapta;
 eu sinto-me como os outros: natural, puro, sincero;
 todos os sentimentos que tu tens.... o negro também tem
 aceito com carinho e simpatia todas as raças.

 Não posso pedir ao Mundo que mude
 não posso pedir a um lunático que ponha os pés na terra,
 não posso pedir a um sonhador que seja roubado
 a sua capacidade de imaginar e sonhar e viajar,
 não posso pedir a um descobridor para parar
 no que constantemente quer descobrir,
 mas posso falar!, posso falar, posso pedir, posso querer
 fazer das minhas palavras a palavras de todos!
 Posso ter um objectivo maior que todos juntos conseguimos,é:
 quebrar as guerras, desigualdades, mortes, a fome, escravatura.
 Não é preciso ser-se milionário para ajudar....ajuda verdadeira é aquela
 que se vê que é feita por sentimento e não por dinheiro.

 Autor : Carlos Cordoeiro.

domingo, 9 de dezembro de 2012

Frase para pensar...

"A música não é só ouvida, também pode ser uma pista para nos lembrarmos como fomos num ano!"
Carlos Cordoeiro.

quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

Manifestação da Escola Artística Soares dos Reis,Porto

Olá!
Hoje,Quinta-feira,6 Dezembro 2012 foi um dia especial e também importante para a Escola Artística Soares dos Reis,Porto.
Hoje realizou-se a Manifestação da Escola até à DREN (Direcção Regional de Educação do Norte),esta Manifestação foi feita porque estamos contra as novas regras de avaliação e acesso ao Ensino Superior.

«Crato para a rua, a arte continua», «Abaixo o Crato», «Filósofos há muitos, artistas há poucos» e «Não aos exames - chumbamos esta avaliação» foram estas as expressões que se poderam ouvir.
O trajecto, de cerca de uma hora e feito a pé, começou na escola, passou pela avenida Fernão Magalhães, Campo 24 de Agosto, rua Fernandes Tomás, rua de Santa Catarina e rua Formosa, terminando na Direcção Regional de Educação do Norte (DREN), onde pretendem apresentar um manifesto «anti-Crato».
Está aqui o link que podem ver:
http://www.tvi24.iol.pt/sociedade/soares-dos-reis-manifestacao-porto-ensino-superior-nuno-crato-tvi24/1399399-4071.html?fb_action_ids=4317037282445&fb_action_types=og.likes&fb_source=other_multiline&action_object_map=%7B%224317037282445%22%3A430464040340113%7D&action_type_map=%7B%224317037282445%22%3A%22og.likes%22%7D&action_ref_map=%5B%5D&code=AQBsar10UJuridYsl7QfLXIlzNH5CBg9ElvbA0ENXZvhpk7UxFIa6XTTCo39U0eY9SslfzrQgFoHU7jlA_tZsK3SIsvYSky2q5RRtZ1juLKwJ3OtOXGuVYxB2tfsy3n_TwdbelpAjK1VuKU5hASBb7tOxXCPMHbZtx14XmCHgiyviCHB-W8sJHhB2p3enldLquvNY7_KBsN3eqsz61wdHweD#_=_

http://www.esquerda.net/artigo/porto-manifesta%C3%A7%C3%A3o-de-centenas-de-estudantes-da-escola-soares-dos-reis/25817

http://www.jcp-pt.org/index.php?option=com_content&task=view&id=1339&Itemid=1





É demais para mim (crítica)

Ao longo de vários anos lectivos os alunos estão inseridos em várias realidades, como por exemplo terem que se adaptar aos professores e ás disciplinas.
Com base nesta adaptação surge muitos aspectos que podem ou não ser compreendidos, surge laços (empatia) e infelizmente pode surgir alguns erros, algumas incompatibilidades.
Como em todas as profissões há bons e maus profissionais.
Quem é bom profissional exerce com gosto, dedicação e até amor mesmo a sua profissão!,suponho...., normalmente os bons profissionais gostam realmente do que fazem e como tal não se interessam por banalidades que entretanto possam surgir.
Que tipo de professor é aquele que não tem atenção como cada aluno é ?
Que tipo de professor dá importância ás banalidades ?
Que tipo de professor diz aceitar as opiniões dos alunos mas quando estes dizem, o professor não aceita e até manda calar ?
Que tipo de professor é que humilha ?
Que tipo de professor se dá ao luxo de berrar ?
Que tipo de professor acha-se o melhor sem os alunos o dizerem directamente ?
Que tipo de professor se dá ao luxo de fazer sentir mal um aluno ?
Que tipo de professor segue exageradamente os critérios,leis etc..?
Que tipo de professor se acha o melhor e o que resto é porcaria ?
Que tipo de professor diz não querer saber dos alunos ?

Estas e outras perguntas podiam ser respondidas através de um Inquérito ou ao professor em causa!
É demais para mim, aliás tudo isto me afecta enquanto aluno, eu pessoalmente não funciono sobre pressão; é preferível deixarem-me á vontade e eu tenho tudo pronto e até apresento trabalhos bons do que estarem constantemente a fazerem-me pressão e eu não fazer nada de jeito!

Autor do artigo : Carlos Cordoeiro.

Poema Sofrimento

Ao início....tudo começa perfeito
tudo parece poético e sonhador
é tudo muito claro, senão o é.....parece
pode-se falar e tal mas tudo muito recente
tudo muito fachada, e até mesmo oculto - suponho,
sabes como é,no inicio tudo é engraçado e giro
quem começa.....sabe que pode ou não ter sorte,
maldita a hora em que a timidez insiste em aparecer!,
ai.......é muito bom falar, falar aquilo que nos faz rir....não
acham o mesmo? eu acho!, oh é fixe falar mas ás vezes.....
eu gosto de falar......ás vezes fico tão fodido quando alguém
se acha pessoa para me corrigir.

Gosto das nossas conversas, ah?,Não Gosto!.....quis eu dizer,
tu és demasiado querida, mas quando queres és filha da mãe,
tu sabes isso!, lamento senão gostas de sabe-lo,
mas nem sequer posso partir para esta parte, tu sabes como foste,
nada disto eu merecia, sinceramente...........nunca esperei isto!,
Consegues-me surpreender pela negativa!, como? como isto aconteceu?
enfim passei mais tempo a admirar-te não se irá repetir, acredita!
não sou burro tantas vezes, és demasiado santa - aparentemente,
abres a boca - coitada de ti, oh menos não me fazias sentir bem contigo,
tu ainda tens a lata de trocares olhares com toda a normalidade.

Falas comigo como se nada passasse, consegues ser assim?
consegues fingir? consegues fingir sentimentos?
Parabéns!, fizeste-o comigo, grande atriz!
queres um prémio por indirectamente magoares-me e
timidamente trocares olhares numa de:
"ai e tal desculpa-me", eu claro que sim....
por favor!, não te vou perdoar, vou fazer de ti
esquecimento; lamento mas será assim.
Trocas olhares, palavras amigas, carinho, respeito e
agora trocas-me ? força, fode-te praí caralho,
sou mal educado? lamento quero ser assim para ti,
quero que sofras como eu sofro por cada átomo de
letra deste poema!
Ah? Que espanto? Estás espantada? Porquê?
por EU ter sentimentos? Tenho!
Não fui eu que fingi,
Não fui eu que ridicularizei o outro,
Não fui eu que fingi gostar,
Não fui eu que fingi o interesse,
Não fui eu que fingi falsa amizade,
Agora sentes tudo isto? Ainda bem, era o que eu queria,
e não venhas com merdas, não venhas dizer que eu sou o
cabrão na história.

Podemos falar se quiseres, podemos ser
amantes de sentimentos falsos,
podemos ser amantes do ridículo
podemos fingir gostar das coisas banalizadas,
ah é verdade!, tu também podes comigo falar
tu podes fingir que me adoras, ah.....espera lá
já o fizeste, és perita nessa cena!
tu sabes, tu sabes que és demasiado
pormenorizada, valorizo-te por isso mas....também
te digo, és demasiado infantil, espantas-te ?
não te espantes minha querida, tu mesma o
sabes; fogo que tipo de pessoa é tão adulta 
nos estudos e tão burra e infantil socialmente?
oh por favor, tu és tão merda!
ao a sério, não te consigo aturar,és fútil!

Autor : Carlos Cordoeiro.

sexta-feira, 30 de novembro de 2012

Poema Promessa

Ai.....
quem nunca ouviu falar em:
prometo-te isto, prometo-te aquilo?
Enfim tudo se promete.

Acho ridículo pessoas que
seriamente dizem
eu prometo-te que....
prometem o quê? aquilo que não vai cumprir?
aquilo que é de fácil realização?

Posso ser, uma pessoa
rude, antipática (sei que não sou)
mas alguns pensam que eu sou merda
se calhar é por isto
que nunca cumpriram o que me prometeram.


É fácil prometer,
o dificil é fazer;
Agora que seja sincera a pessoa
e me diga o que já prometeu e cumpriu.

Autor : Carlos Cordoeiro.

quarta-feira, 28 de novembro de 2012

Poema Só O Amor Perdura

O amor perdura?
Oh será isso verdade
ou o pensamento a enganar-me?

Ai se o amor fosse como o tempo....
por vezes seria infinito
outra vezes seria doloroso
a passar.

Ai tudo perdura
nem que seja na memória
daquele que já amou ou ainda ama;
tudo perdura
nem que seja na lembrança
do que se tocou, do que se sentiu;
tudo perdura
nem que seja na recordação
do que se beijou,do que se sentiu
em ser amado de forma tão bela
como o próprio amor é!

Perdura?
De que maneira?
Como?
Onde?
Oh, alguém me diga onde está
esse amor que ficou preso, que perdurou
no tempo e no espaço que eu não conheço.


Ai que amor perdura?
Quem me diz com verdades...
que isso exista?
Apenas tenho como recordação
todo o cheiro, todo aqueles beijos repletos
de sensações tão intensas como tão lindas
oh, claro que sim, claro que o amor perdura
Estou eu aqui a falar do que senti
Afinal o amor perdura mesmo!

Autor: Carlos Cordoeiro.

sábado, 17 de novembro de 2012

Poema Amor

O que é o amor
senão um jogo de lenta admiração ?

O amor, o amor
esse jogo demasiado complicado
esse assunto demasiado retocado
Sabes o amor é muita complicação.

O amor é tudo aquilo que alguém
quer ou deseja mas nunca tem;
é tudo que é demasiado sonhador
mas na verdade é pesadelo;
é tudo aquilo que parece banal
mas tudo se torna discutível;
é tudo aquilo é sem sentido
e passa tudo a questionável.

Oh por favor não me venham
com livros baratos a falar
do amor ideal, do amor eterno,
do que pode ou não  ser duradouro;
do que pode ou não ser legitimo
nada do que está aqui, nestes livros
é real, nem mesmo na própria vida;
á definição de amor ? claro que não!
Nunca houve.

Autor : Carlos Cordoeiro.

Poema Falsidade

Tudo é falsidade
na medida  em que
desconfias de muita coisa;
na medida em que dizes acreditar
mas na verdade nunca acreditas.

O sentimento mútuo
não existe, todo o Homem é egoísta
todo o Homem pensa só em si
tu sabes disso.....realmente ama
e constrói-se com outra pessoa
mas tem medo da solidão.

Oh solidão, quem gosta ?
Ninguém!
Nem mesmo aqueles que dizem:
"deixa-me sozinho".

Oh, tudo é tão complicado
tudo se complica, há demasiadas leis
que falsificam a actualidade.

Autor : Carlos Cordoeiro.

Poema Um Jantar

Boa Noite
Vinha para jantar!
A mesa é para quantos ?
Para mim e para a minha amada.

Tudo é muito romântico
tudo é especial
tudo é perfeito
tudo é intenso e puro;
Ela chega
tudo é perfeito
vestido, corpo, vislumbra!
tudo está a rigor
agora começa o jogo.

O jogo dos sentimentos
o jogo das mentiras
o jogo dos sorrisos
a parte horrorosa dos bons costumes
a parte de "O que és?, O que gostas?"
e também família há mistura enfim
encontros são sempre assim
tão "cliché" não vos parece?
a mim, sempre!

Autor : Carlos Cordoeiro.

segunda-feira, 12 de novembro de 2012

Grande Enredo (Desenho)

Carlos Cordoeiro
Grande Enredo (que isto está a tomar)
Desenho
Novembro 2012

Poema Ai Oh Menos Que Deus

Ai oh menos que D-us tenha a bondade
de perdoar-me todas as palavras corruptas
que saiem do meu coração e vão directamente
para os meus delicados dedos de poesia.

Ai oh menos que D-us tenha a piedade
e em mim não castigue a raiva que sente
dos políticos do meu país, Portugal.

Ai, oh menos que D-us tenha a compreensão
de que eu não sou a bosta da cena desta peça de teatro
com actores de merda mas com muita esperteza
e com o dinheiro sabem brincar com as pessoas
do próprio País.

Ai, oh menos que D-us tenha a luz
da bondade e do perdão
e que saiba encaminhar esta país que está
como casa a cair, por favor não faças de Portugal
um país  de cinzas e restos;
Oh D-us ou entidade superior divina
faz Portugal renascer e ficar tão forte
como na Época dos Descobrimentos.

Autor : Carlos Cordoeiro. 

domingo, 11 de novembro de 2012

Poema Estou Farto

Sabes estou farto de tudo e de todos
tudo é muito perfeitinho,
tudo é muito sábio naquilo que diz
mas para mim somos todos iguais
não há cá superioridades de pessoas
digo isto....porque na morte
todos somos iguais - pó,
fora isto tudo é igual
apenas há ilusões de diferenças.

Achas que se fossemos todos iguais
estávamos neste planeta?
Claro que não,não te deixes enganar!
Tudo é aparente,tudo é estranho;
Nunca te questionaste se o que te rodeia
é real?
Eu já me questionei!
Espero que um dia faças o mesmo.

Enoja-me constantemente
aquelas pessoas de nariz empinado;
enoja-me as pessoas
que estão sempre a corrigir
mesmo não sendo professoras;
Odeio com todo o meu ódio aquelas gajas
que se acham as melhores da escola
era quem cuspisse paras elas na roupa
aí, elas sentir-se-iam na merda!
Ah, é verdade e aqueles rapazes que pensam
que são os melhor cá do sítio
e não passam de simples bostas.

Autor : Carlos Cordoeiro.

sábado, 10 de novembro de 2012

No Escuro (Desenho) / In Dark (Draw)

Carlos Cordoeiro
No Escuro / In Dark
Desenho
Novembro 2012 / November 2012

domingo, 4 de novembro de 2012

The Unborn Film / Filme Espírito do Mal

The Unborn (Alma Perdida) é um filme de terror e suspense norte-americano estreado no dia 9 de Janeiro de 2009.
Este foi realizado e escrito por David S. Goyer, produzido por Michael Bay e conta com Odette Yustman, Cam Gigandet, Meagan Good e Gary Oldman nos principais papéis.


ALISE E A MINHA OPINIÃO:


O filme começa com uma mulher que corre numa paisagem com neve no chão encontra uma luva e atrás surge um rapaz mais ou menos com 7 anos com uma luva só numa mão e olhar era um azul frio,distante e macabro.
A atriz principal assusta-se porque atrás do espelho vê o rapaz a esticar a mão e a gritar.
O pai que está na empresa diz que a filha teve um irmão gémeo que morreu no útero da mãe.
Curiosamente o ambiente é todo pelos tons brancos,azuis e negros, há um lado macabro,sinistro e até silencioso no enredo do filme.
"No reino dos cegos quem tem olho é rei" (estava escrito na casa de banho e depois tudo explodiu e a mãe aparece e diz Casey, a mãe estava vestida como se estivesse no hospital, tudo isto foi apenas visto por Casey o namorado e uma amiga depois foram ajuda-la mas nada viram.

Fazem referência aos gémeos na época do Holocausto (acreditavam que nos gémeos podiam descobrir algum sobre a genética deles).
Sefer Ha Marot (livro dos espelhos,contém exorcismo judaico).Referência ao livro Cabala (livro que fala do lado místico do Judaísmo).Dybbucks - almas de pessoas que morreram mas querem entrar nas pessoas que estão neste mundo ainda vivas.
Exorcismo judaico - 10 dedos, 10 mandamentos
.....
Ao contrário que as pessoas possam pensar a Cabala enquanto livro pertencente há religião Judaica não é um livro de fácil leitura aliás só alguns rabinos é que compreendem.

sexta-feira, 2 de novembro de 2012

Poema Comboio

Lentamente parte
o comboio sem vapor:
vejo agora o rio
passando por baixo da ponte.

Estou em plena ponte
é mais barulho dos carris;
as conversas são parvas;
vou chegar ao túnel
estou sem rede
...
...
...
...
...
...   ....  ... ... ... ...sai do túnel
estou em General Torres.

Pessoas bonitas e cansadas
entraram e acomodoram-se;
recomeçou a andar
a sério? conversas com palavras
tipo merda ou foda-se agora em
Gaia, ou melhor Devesas estou;
agora andamos outra vez
ouço o barulho agradável do comboio;
"próxima paragem Coimbrões" diz
a voz automática.

Portas abertas
em frente vejo grafittes
grafittes gastos pelo tempo;
conversas robóticas
conversas de costume, tudo tradicional;
vidro escurece com a paisagem
cidade vs.campo vs. mar;
"Madalena" diz a voz
voltei a andar, a ouvir, a sonhar;
Meu Deus!, uma senhora carregada
com sacos de quotidiano;
"Toma, toma" ouve-se alguém a dizer
a sério? a sério jovens estúpidos?
"como se faz um cornetto de merda" disse alguém;
esta juventude tão emprobrecida
e tão deficientes a falar
com o português iram acabar;
momento silêncio, jovens saiem;
luzes de comboio intensa demais
luzes vivas,luz demais;
comboio    a        a  b  r  a  n  d  a  r.

Autor : Carlos Cordoeiro.

sábado, 27 de outubro de 2012

Opinião Sobre Arte

Opinião Sobre Arte




Sinceramente não quero ofender...mas  por exemplo eu vejo trabalhos nas galerias de Miguel Bombarda e ALGUNS nada me dizem.....eu sei que é a Arte deste século....mas actualmente eu pinto o que gosto, sinto, vejo, eu sei que não é por aqui que está a Arte (talvez sim talvez não).
Mas repara eu sinto que eu mesmo quero pintar o passado não porque é bonito ou feio, mas porque me ajuda a procurar algo, que é ponto de partida.....mas tenho aquela "bruta" vontade de através da Arte de Instalação soltar a minha intenção artística ,as minhas ideias... .............por mim eu "explodia" visualmente e artisticamente com uma galeria.
ÁS VEZES a Pintura não me chega enquanto meio de expressão e é aí que entra a Arte de Instalação.
Eu não tenciono criar o que os outros criam nestes 10 ou 15 anos.....eu quero criar algo que seja identificável á minha pessoa, quero criar algo que seja familiar e íntimo com o publico nacional ou internacional.
Eu não quero ser um Leonardo da Vinci mas também não quero ser uma bosta....quero ser eu mesmo, Carlos, quero ser eu mesmo em todas as expressões artísticas que me expressar.
Mas o que eu quero transmitir é a minha pessoa.....quero que os meus trabalhos sejam íntimos ás pessoas, por exemplo uma pintura minha é difícil de se compreender….mas se calhar na Fotografia, Instalação ou Escultura eu consigo estar mais próximo, mais íntimo do público.
Pode parecer estranho ou se calhar até não............mas quem olha para as minhas pinturas, todas elas têm algo em comum que a pessoa poderá facilmente descobrir mas todos os significados (verdadeiros ou não) dificilmente são descobertos e porquê?
Porque estão relacionados com a minha vida extremamente pessoal (alguns amigos meus, muito poucos, sabem o verdadeiro significado das minhas pinturas).
Eu enquanto aprendiz de Arte.....(no fundo sempre serei aprendiz) não pretendo, não é de todo a minha intenção pintar "como agora", ou seja, segundo as ideias contemporâneas.
Podem-me considerar retardado, otário, estúpido, burro etc....mas para mim todas as Artes e movimentos artísticos desde de Neolítico até aos dias de hoje, influenciaram-se uns aos outros, ou seja, a Arte Contemporânea teve necessariamente que ir buscar "pedaços" técnicos e visuais de outras Artes que existiram, traduzindo isto por miúdos, para mim todos os "ismos"  (ex: Fauvismo,Impressionismo) são importantes para o meu desenvolvimento a nível de desenho e pintura.
Tenho amigos que já me disseram mais que uma vez para largar os movimentos artísticos do passado em que me baseio para pintar..............mas a Arte Contemporânea é inspirado no "hoje" e no "ontem" suponho eu....
Só porque actualmente está em voga a Arte Contemporânea não quer dizer que seja proibido ou negado a minha inspiração por motivos artísticos do século XVIII e século XIX.

Autor do texto : Carlos Cordeiro.

Poema Loucura

Poema Loucura


Loucura é como algo indefinido
pode ser a cabeça estranha
os sentimentos banalizados
não sabes o que é ao certo,
eu não sei!

A Loucura pode ser tão visível
como tão oculta como a lua nova;
A Loucura pode ser tão estranha
como as letras de algumas músicas;
A Loucura pode ser o teu coração fortemente estar a bater
e tudo há tua volta estar negro como
os teus sentimentos;

 A Loucura pode ser um misto de real ou irreal
não sabemos........é algo inanimado;
A Loucura pode ser uma mistura de verdades banalidades;
para ti louco ou louca
é aquele que grita numa casa
com pessoas que são máquinas ?
isso é erro, erro de pensamento.

A Loucura pode ser mentiras
de uma vida....pode ser a dificil
compreensão do teu eu espiritual;
A Loucura pode ser aquilo que te faz
sentir e ser negro, macabro e estranho;
A Loucura pode ser o susto
o susto do momento vazio.

A Loucura.....

A Loucura pode ser tudo que não existe
pode ser o negro no branco;
A Loucura pode ser o teu eu nas dimensões
paralelas a estas;
A Loucura saudável?
que é isso?
Para mim A Loucura é tudo inanimado;
inexistente;
sem vida;
sem esperança;
sem nada.

Autor : Carlos Cordoeiro.

terça-feira, 16 de outubro de 2012

Dor Israel / Israel Pain

Carlos Cordoeiro
Dor Israel / Israel Pain
Fotografia / Photography
Original Date : 2010

sexta-feira, 12 de outubro de 2012

Poema Anestesiado

Anestesia o meu sentido de dor;
anestesia a mágoa que se sente sempre
neste meu coração golpeado e doloroso;
anestesia toda a dor que corroem-me sempre;
anestesia toda a dor que me faz chorar;
anestesia todo o sentido da existência.

Anestesia a mágoa que me faz chorar
e também deitar na cama da dor infinita;
anestesia o sentimento negro e infeliz
que cobre o meu coração com um xaile;
anestesia pela canção o meu desejo
de querer amar naturalmente;
anestesia o meu sentimento.

Anestesia toda a dor que no meu interior
guardo e deixo acabar com a minha própria alma;
Anestesia todo a dor que me prende num caminho
doloroso,viciante num ciclo que nunca irá acabar;
Anestesia toda aquela sensação de vazio
que tenho no olhar e na mente;
Anestesia todas as palavras que parecem
todas fazer-me sofrer;
Anestesia todos aqueles momentos banais;
Anestesia todas as palavras banais;

Anestesia o teu dia-a-dia;
Anestesia o cheiro do hospital;
Anestesia o Estado Português;
Anestesia a vulgaridade;
Anestesia-te;
Eu anestesio-me com as palavras dolorosas
De um  poema honesto e verdadeiro sentimentalmente.

Eu em mim injecto a droga da dor
a droga da solidão,tristeza,mágoa e o sentimento blue
não é por acaso
que dos meus poemas
lê-se dores verdadeiras de uma profundidade superficial.

Autor : Carlos Cordoeiro.

Poema Geometria Da Vida

Estava como reta de topo
quando nasci a partir da vagina.


Depois estava como
reta horizontal sobre o plano
da minha mãe.

Há medida que o tempo foi passando
fui sendo e estando como reta vertical
em relação ao plano terrestre.

Durante toda a vida
posso estar como reta vertical no plano terrestre;
posso estar como reta horizontal se estiver a dormir;
posso estar como reta frontal em relação a qualquer coisa;
posso estar como reta oblíqua se for a cair na rua
ou em qualquer lugar;
posso estar como reta de perfil assim como alguém
que me vê de lado;
posso sentir-me no céu e na terra assim
como a recta fronto - horizontal;
posso estar inclinado sobre alguma coisa ou pessoa
como plano de rampa.

Posso pegar na lapiseira da vida
e desenhar várias retas que traçarão a minha vida;
posso pegar no compasso do ciclo da vida
e girar vários círculos na minha vida;
posso pegar no aristo
e medir os ângulos para a ver a inclinação da minha vida.

Autor: Carlos Cordoeiro.

quinta-feira, 11 de outubro de 2012

Poema Que Se Lixe A Troika

Que se lixe a troika
que se lixe esta merda toda
que se lixe a falsidade
que se lixe a merda da política de agora
que se lixe o coelho e o portas
Que se lixe a merda que está a cheirar mal.

Que se lixe a austeridade
Que se lixe os novos cortes
Que se lixe o "novo" acordo ortográfico
que se lixe os Magalhães que nada ajudam na primária
Que se lixe os ricos
que se lixe o luxo e a riqueza.

Que se lixe o aumento dos transportes
que se lixe o aumento da comida e de tudo!.
Que se lixe o sorriso falso, a boca mentirosa.

Oh povo português....oh Portugal.....
ao ponto que chegamos!
Meu Deus!, uma nação tão nobre diz ser
Acaba agora de ser a merda que irá desaparecer.

Condenam-me?
Porquê?Por dizer asneiras?Por dizer verdades?
Enfim.

É tudo muito bonito muito elegante muito perfeito
tudo super esclarecido aos estrangeiros
mas não aos portugueses,dou por mim a ver-me numa manifestação
Em que polícias quase que nos mordem como cães.

Já viram?
Cada português neste momento tem uma prisão
mesmo que não a tenha pedido ou comprado;
já viram?
vejo-me aprisionado em mim mesmo
sem direitos e sem voz para gritar alto a minha revolta.

Chega á cabra da estupidez de não ter boca nem olhos
a boca apenas serve para reclamar e os olhos para ver a merda!.

Chego a ver-me.........metaforicamente falando
preso em mim mesmo e preso numa prisão!;
estou num mundo demasiado confuso,estranho,irreal
para perceber se isto é ou não Portugal.

Autor: Carlos Cordoeiro.

sábado, 6 de outubro de 2012

Poema A Verdade

Eu quero amar aquela que me irá amar
eu quero ser aquilo que sou sem interrogatório
eu quero amar-te se tu me amares
quero sentir-te se fizeres o mesmo por mim;
não quero ser o cornudo, o burro, o merdas
de uma amor fachada
que irá ruir brevemente.

Eu quero ser feliz num mundo onde não há falsidades
quero tudo ás claras como o sol e a natureza;
quero ser eu
quero ser verdadeiro
quero ser justo
quero ser amigo
quero amar-te
tudo isto consegue-se senão fores a parte
que fode a relação deitando-te na cama com outros.

Podias simplesmente matar-me
irias chorar por mim? Não!, ias festejar;
por isso não me irás matar
preferes ser tu a puta
do relacionamento que nunca houve!

Quero eu desabafar
quero eu chorar
chorar interiormente
por um amor nunca correspondido
por amor falso;
quero eu sentir-me no negro de uma solidão;
quero eu sentir-me no negro de uma floresta;
quero eu sentir-me no negro de um quarto todo negro;
quero perder-me em mim mesmo numa escuridão infinita.

Autor : Carlos Cordoeiro.

Poema Não É Preciso....

Não é preciso
ser rude, fria ou estúpida
para dizeres
o que não gostas de mim.

Não é preciso seres cabra
para me insultar
simplesmente diz com normalidade
o que te chateia
que não sou eu de certeza.

Senão me amas, senão me queres
senão me desejas
pode simplesmente não começar
uma relação falsa.

Se queres que eu seja um homem ideal
se quiseres que eu seja todo musculado como os modelos
se quiseres que eu seja modelo
mas que seja burro então arranja outro;
eu prefiro ser como sou
e ter cultura e inteligência.

Não é preciso disfarçar
para te perceber sentimentalmente;
não é preciso sorrir
quando sei que é sorriso falso;
não é preciso dizeres que me amas
quando eu sei que não é verdade;
não é preciso andares colada a mim
para eu saber que não me amas o suficiente;
não é preciso mentires
para eu saber que nunca me amaste
apenas fizeste grande teatro em que eu era o burro.

Autor: Carlos Cordoeiro.

segunda-feira, 1 de outubro de 2012

Poema O Que O Meu Amor Faria Por Ti.....

Apenas quero acordar
olhar e em frente ver-te
ver-te tão pura e branca
como um anjo que és.

Quero amar-te
sentir junto a mim;
como casal que nos amamos
quero sentir a tua pele mais junto há minha;
quero sentir
os teus lábios
lentamente tocarem nos meus;
quero tocar-te
nesses teus cabelos macios
como a roupa que deixamos cair;
quero delicadamente
sentir o teu corpo com o meu
com todo respeito;
quero apenas
desejar enquanto
minha beleza e minha amada.

Quero contigo viver
e também correr
num campo só nosso.

Quero sentir-te
como seda dos nossos cobertores;
quero amar-te
como os deuses se amam;
quero beijar-te
e tocar-te delicadamente
como quando pegas nas pétalas do nosso amor.

Autor : Carlos Cordoeiro.

sexta-feira, 28 de setembro de 2012

Poema Tristeza De Uma Música

Estou aqui como uma estátua
presa no tempo eterno da Arte estática
presa em sentimentos já inexistentes
presa em mágoas que sempre se sentem
seja pouco ou muito no coração da mente
ou através das palavras que deixo aparecer no papel.

Estou aqui parado seja no tempo ou nos ponteiros
estou parado, estático como que anestesiado
estou como prisioneiro de mim mesmo 
e não me querer conhecer e ver;
estou só como peça decorativa de uma casa
e também pertenço ás listas das peças pirosas;
estou como um jovem para a vida...
muito sonhador mas pouco prático;

Farei eu parte de uma viagem
demasiado dura como o betão da minha casa;
farei eu parte de uma imagem
que é tão mito, tão falsa, tão estranha?
serei eu um pedaço de papel já gasto
com palavras banais
e também sentimentais?
Não sei,
Sinto que tudo é demasiado
complicado, para o lado mítico;
é tudo tão banal mas ao mesmo tempo tudo
tão forte, tão sentido e tão secreto.

Autor: Carlos Cordoeiro.

sábado, 22 de setembro de 2012

Poema Anjo

Anjo não é aquele
que tem asas nas costas
é aquele que é bom como pessoa;
anjo não é aquele
que tem uma auréola
mas sim a pessoa que é como é;
anjo não é aquele
que está vestido de branco
mas sim o que se veste e é como quer.

Anjo não é aquele
não é aquele que se porta bem
mas sim o que tem personalidade verdadeira:
anjo não é aquele
que se diz sempre correcto nem perfeito
mas sim aquele que erra, aquele que o admite;
anjo não é aquele
que ajuda os santos, profetas como se vê na bíblia....
mas sim aquele que é amigo verdadeiro;
anjo não é aquele
com ar de santinho
mas aquele que é tão bom como um grande cabrão
dependendo da situação.

Anjo não é aquele
que está ligado há religião ou a uma figura sem sexo
mas sim aquele  que faz
tudo pelo bem ou tudo pelo mal.

Autor : Carlos Cordoeiro.

quarta-feira, 19 de setembro de 2012

Poema Estado Puro

Estado Puro
é o que eu deveria ser e estar
em relação a ti
Estado Puro
é como tu e eu devíamos estar
no amor e na amizade
no bem e no mal
Estado Puro
era como deveria estar
quando beijasse os teus lábios
e te envolvesse em mim.

Estado Puro
que estou
ao te amar verdadeiramente;
é aquele momento
que sei que me amas que me sentes;
Estado Puro
é aquilo de eu estar
apenas contigo.

Autor : Carlos Cordoeiro.

Poema Fingir A Verdade

Sabes que eu te amo
sempre o soubeste
apenas fingiste
que de nada sabias.

Eu sou aquilo que vês
sou como sou
quem não gostar
pode-se afastar.

Sabes que é dificil dizer-te directamente
o amor ingénuo que sinto por ti
eu disse-te apenas pelos olhares e risos
Sabes que eu te amo
Sabes que gosto da tua presença
ás vezes parecias provocar-me
provocar o meu lado mais amoroso.

Estás tão distante
mas ao mesmo tempo tão perto
estás tão atractiva
mas ao mesmo tempo estás normal
estás tão amorosa
como podes estar mal disposta
não ligo ao teu lado mau
o que sinto por ti
anula todas as maldades e complicações.

Autor : Carlos Cordoeiro.

terça-feira, 18 de setembro de 2012

sexta-feira, 14 de setembro de 2012

Thank You Lady Gaga

Carlos Cordoeiro
Cruz Sangue / Blood Cross (Judas)
Fotografia / Photography
2012

sábado, 8 de setembro de 2012

Poema O Enigma Do Amor

O nosso amor
é como o nevoeiro, não se vê bem;
pode ser quente
como um sol que aquece o verão;
posso ser por infelicidade como a chuva
frio e insensível.

Quero sentir-te
como a mãe sente um filho;
quero abraçar-te
como os grandes amigos;
quero beijar-te
como nos filmes clássicos;
quero-te fazer feliz
como ninguém te fará:
e isto não são promessas como as novelas
isto é verdade.

Quero ser amado
por ti, sem grandes complicações
em grandes pretextos, sem grandes desculpas.

Quero sentir
que precisas de mim, que me sentes;
quero que me ames
pelo que eu sou, não sejas em nada criança
apenas beija-me!;
sente que eu sou doce
como o teu chocolate favorito;
sente que eu sou atraente
como a roupa que queres no teu corpo vestir;
simplesmente ama-me.

Autor : Carlos Cordoeiro.

Poema Pode Ser...

Podia eu ser
milhões de estrelas
que desejas ver
mas só de noite me vês.

Podia eu ser sempre
um pouco dos teus pensamentos
mas seria bom demais
para ser verdade.

Podia ser o açúcar
que te adoça a vida
e a boca
mas estou fora de prazo.

Podia ser a tua bebida favorita
mas saberia bem demais
terias que meter gelo
para arrefecer a situação.

Podia ser o teu chocolate favorito
mas só o comes na dor
eu não quero ser dor para alguém
apenas quero estar recheado
do melhor sabor, amor.

Autor : Carlos Cordoeiro.

sexta-feira, 7 de setembro de 2012

Fim do Canal RTP 2 ?

RTP 2 acabar?
NUNCA!
É completamente verdade que a RTP 2 enquanto canal não olha para as audiências mas sim para a cultura que os portugueses devem gostar de ter!
Eu discordo completamente do fim do canal!
Tal como outras pessoas eu gosto deste canal por causa do zig zag, algumas séries e até alguns documentários da National Geographic.
Não vou mentir...........há muito tempo,anos mesmo que vejo o Zig Zag independentemente de ser adulto ou não.
Suponho que é de conhecimento geral que os desenhos animados desenvolvem determinados tipos de pensamentos ,brincadeiras, sentido de aprendizagem, cooperação, respeito etc...quanto as séries...o canal RTP 2 passa grandes séries que são de grande qualidade e por exemplo mesmo os documentários da National Geographic que alguns parecem secantes ensinam e muito!
Sinceramente e sem vos mentir aprendo muito mais na RTP 2 do que outros canais!
Na SIC e TVI é só programas de dar dinheiro e novelas...A RTP 1 não sei porque nunca a vejo......e a RTP 2 é aquele canal que ensina bem (sem grandes complexidades para o publico),seja em português ou noutra língua aprende-se com a RTP 2!
As pessoas que querem acabar com o canal têm a ideia o quanto o zig zag ensina e faz feliz montes de crianças?
NÃO,não tem a noção!
As pessoas de Portugal Continental e Ilhas deveriam ter o gosto pela educação, cultura, entre outros aspectos.
Parece que não mas uma pessoa pode evoluir e muito com desenho animados,cultura,educação em escolas, com música entre outros aspectos.
SIM,é verdade!,nem tudo está ao alcance de todos mas há inúmeras formas de as pessoas aprenderem a serem cultas e pessoas civilizadas e pessoas de bem.
Um dia foi criado a RTP 2
mas para quê?
PORQUÊ?
O QUE ACONTECEU?
Querem acabar com o único canal que faz feliz e ensina as crianças?
Querem acabar com o único canal que passa séries de alta qualidade?
Querem acabar com o único canal que mostrou os Jogos Olímpicos 2012 a tempo inteiro?
Querem acabar com o único canal que mostra a Assembleia?
Enfim há inúmeros motivos para não acabar com um canal de excelência!

terça-feira, 4 de setembro de 2012

Estrela David / David Star

Carlos Cordoeiro
Estrela David / David Star
Stencil (em cartão amarelo)
Data Original :2008

Está representado neste cartão uma estrela de 6 pontas ou Estrela David e dentro desta esta estrela está um candelabro de sete braços ou menorá (nome judaico que se dá a um candelabro de 7 braços).
Este é o meu trabalho ligado ao Design de Comunicação.
Com este trabalho pretendo mostras dois símbolos que significam muito na minha vida.
Estes são os símbolos mais conhecidos de Israel e do Judaísmo.
A cor da estrela e candelabro é cobre e não vermelha ficou com a cor errada devido há claridade do meu scanner mas até ficou muito interessante.
O vermelho da estrela e do candelabro pode significar dor, guerra, mortes, maus julgamentos que houve durante vários séculos em vários países em relação aos judeus e ao judaísmo.

sábado, 1 de setembro de 2012

Poema Cuidado

Cuidado que posso monstro
cuidado que posso ser agressivo;
cuidado que posso ser diabólico
cuidado que posso ser macabro;
posso  ser tudo de mal
apenas se for mau interiormente ou tiver possuído
por uma entidade diabólica.

Sabes que todas as pessoas
podem ser alvo;
de serem consumidas pelo mal
que habita nos mundos surreais.

Se eu tiver mal
e na maldade permanecer
será caos!;
posso ser tudo de mau
tudo de negro
como pesadelos e sombras;
posso te perseguir
fazer de ti merda;
isto
isto tudo mau é o que as pessoas querem.

As pessoas julgam-se superiores
ao julgar outras quando nem sequer para si olham;
estas pessoas
são as piores;
estas pessoas
são as infelizes
são as que iram ser mal vistas
e acabar na banalidade do dia-a-dia e das conversações
que venham a ter na sociedade.

Autor: Carlos Cordoeiro

terça-feira, 28 de agosto de 2012

Duomo Qvantus (no sense text)

Otracvs norus iopi opum derum cofusain impertubare no silenciozo in piatta cuzda alló ivó osho ifri.
In perpetuo sobrittimecho de los anjos di nueba siza ovacus in petrus socum.
In calceus meu ignoro uperu ovieru num domus statum.

sábado, 25 de agosto de 2012

Poema Não Me Interessa

Não interessa o que dizem de mim
não interessa se sou feio
malcriado,impulsivo
gordo, inocente, complicado
exagerado
apenas vou amar-te e ser amado.

Não me interessa o redor
apenas tu, a tua beleza
não quero saber dos outros
apenas de ti
não quero brincar com outros
apenas contigo
não quero ser especial para todos
apenas para ti
não quero surpreender todos
apenas a ti, porque amo-te.

Não sejas cruel
não sejas rude,não gosto;
sê sensual, provocadora, atrevida
que é assim que gosto de te ver;
Ama-me, sente-me,  toca-me, beija-me intensamente
eu amo-te tanto...não tens noção disso!
já deste conta disto?
Talvez irás ficar surpreendida
mas é de ti que gosto e amo
quero amar-te para sempre e fazer-te feliz
não vás, não te vás como folhas ao sabor do vento.

Autor : Carlos Cordoeiro.

Direção (Desenho) / Direction (Draw)

Carlos Cordoeiro
Direcção / Direction
Desenho / Draw
Agosto 2012 / August 2012

Estrelas (Desenho) / Stars (Draw)

Carlos Cordoeiro
Estrelas/Stars
Desenho/ Draw
Agosto 2012 / August 2012


Este desenho representa uma árvore em primeiro plano com um pequeno e tímido monte de fundo e por estranho que pareça mas as estrelas são os círculos de vários tamanhos que estão por toda a folha.
Uma vez..abri a janela do meu quarto e olhei para o céu e por muito tempo admirei o brilho das estrelas, entretanto enquanto as vias parecia que elas eram círculos...daí eu no desenho ter feito sobre a forma de círculos.
Após ter feito este desenho....lembrei-me de algumas ilustrações da história O Principezinho de  Antoine de Saint - Exupéry.

Itália (Desenho) / Italy (Draw)

Carlos Cordoeiro
Itália / Italy
Desenho / Draw
Agosto 2012 / August 2012


A Itália durante vários séculos foi um Império de Arte,  Filosofia, Ideais de Beleza, de perfeição quanto ás Artes e estética,o Renascimento enquanto movimento de Arte foi um dos melhores estes e outros motivos do país foram motivos para eu realizar este desenho que mostro.
Embora pareça que foi desenhado apenas com linha pode-se ver que foi "bordado" com a caneta azul.
Este desenho foi feito numa folha A4 mas demorou algum tempo a fazer.
O facto de o desenho parecer frágil, rendilhado, detalhado quer dizer a delicadeza da Arte Italiana de vários séculos, delicadeza no sentido até que ponto os artistas italianos valorizavam a Arte.
O facto de "cordas" segurarem Itália é para que este país nunca caia porque assim haverá sempre Arte Italiana,seja na área do Desenho, Pintura, Escultura, Arquitectura etc.







terça-feira, 21 de agosto de 2012

Reino África / Africa Kingdom

Carlos Cordoeiro
Reino África / Africa Kingdom 
Agosto 2012 / August 2012
Aguarela /  Watercolor

Este desenho é ligado aos sentimentos.
No desenho pode-se ver uma faixa a dizer Africa Kingdom (Reino África) quero com isto dizer que África poderia ser como um Reino só, em que as culturas se unissem e lutassem por causas nobres em comum.
Vários países da Europa podia ajudar financeiramente, socialmente, culturalmente, religiosamente, artisticamente etc.
Por exemplo podia-se por em prática vários projectos,da forma mais económica possivel.
Que tal estas ideias...
1. Porque não limpar as ruas das cidades,vilas e aldeias mais pobres?
2. Porque não construir pequenos bairros com algum conjunto de casas e com condições mínimas como luz,água,gás...?
3. Porque não melhorar o saneamento?
4. Porque não melhor as ruas,passeios,iluminação de ruas?
5.
Porque não construir escolas?
6.
Porque não construir clínicas de saúde ou até mesmo hospitais?
7. Porque não fazer campos limitados para uso da Agricultura?
8.
Porque não melhorar estradas?
9.
Porque não educar a nível educacional, social,religioso,politico,artístico,económico estes países africanos?
10.
Porque não fazer pequenos mercados legais com produtos de qualidade normalizada?

Estas e outras ideias não são assim tão estúpidas,muito pelo contrário,são estas e outras tantas ideias que fariam evoluir os países africanos.
Se todos os países europeus tivessem a vontade,dedicação,esforço,cooperação etc..para ajudar África tudo seria diferente,suponho.
O problema é que o mundo europeu,asiático e americano é racista, só pensa em jogos políticos,financeiros etc.
Os países só pensam em si mesmo,acho que deviam ajudar mais aqueles que realmente precisam!
Quem pensa que ajudar países africanos é só com dinheiro,brinquedos é porque pensa errado,por ajudar pode ser de várias formas (não tem sempre que haver o lado do dinheiro nas questões humanitárias).
Parece que não mas sendo muitas as pessoas que são racistas faz com que seja impedimento para ajudar ou fazer evoluir.
Se Europa,Américas e partes da Ásia evoluíram porque é que os países de África não ponderam evolui?Porque é que África não pode evoluir?
Enfim...espero que as pessoas que tenham lido este meu documento tenho o espírito de querer ajudar as pessoas em África,seja que ajuda for....desde que seja para AJUDAR.

Poema Aquela Amiga

Simplesmente falei contigo
num corredor da escola
como quem não quer a coisa
e vi em ti simpatia  e amizade
e também gosto por coisas
que aos outros são banais.

Imagina lá tu
mas não te zangues
que nem o teu nome sabia
era simplesmente simples
depois fiz questão de decorar
para sempre que te visse
o teu nome chamar.

Na escola falamos
dos professores bons e maus
e de uma coisa que faz rir.

Agora, no facebook
a rede social que está in moda
falamos de banalidades
da família...dos amigos
dos amores e desamores
quando ela não está online
eu não falo tanto
ela sabe as minhas histórias (habituais)
não há introduções.

Autor : Carlos Cordoeiro.

segunda-feira, 20 de agosto de 2012

Poema Longe

Poema Longe


Podes ir longe
podes querer mais
podes ser mais, basta quereres.

Pode ser a tua própria longevidade
a partir do momento em que és tu
a fazeres a tua vida
até partires.

Podes ir longe
no amor
podes ir longe
na amizade
sou á prova das más palavras.

Sabes que eu sou forte
que eu quero
aquilo que são os meus sonhos.

Consigo-te provar
que sou forte
por mim mesmo
sou capaz de quebrar falsidades
mágoas,muros
marginalidades,hipocrisias
serei eu mesmo
num mundo forte em que eu sou forte
agora deito-me
na energia que me faz
superar tudo e todos.

Autor : Carlos Cordoeiro.

sexta-feira, 10 de agosto de 2012

Dimensão das Cores (Desenho) / Dimension Of Colors (Draw)

Carlos Cordoeiro
Dimensão das Cores / Dimension Of Colors
Agosto 2012 /August 2012

Com este trabalho pretendo que o publico entenda até que ponto vai o significado das cores.
O facto de ter feito quadros e rectângulos foi para limitar a área das cores, assim dá ideia que as cores estão presas e que não se conseguem expandir livremente logo surge outra dimensão,a dimensão da cor se afirmar por si mesmo estando num espaço fechado.
As cores relacionam-se entre si mas não se expandem muito...apenas tem a área que é visível,seja quadrada ou rectangular.
Tem a sua própria iluminação,tamanho,forma,cor e ligação e são estas características que fazem com que haja um nova dimensão.

quinta-feira, 9 de agosto de 2012

Projectos a longo prazo

Quem conhece-me minimamente ou então sabe dos meus trabalhos que estão no facebook e blogue sabe que eu tenho paixão pelo desenho, pintura, escultura e arquitectura (e depois segue-se Fotografia, Cinema, Cenografia etc..).
Eu ambiciono muito,demais até...não considero defeito..muito pelo contrário mas há projectos que eu tenho em mente que são grandiosos em termos de custos e tempo,eu sei que pode parecer ridículo,mas eu vou mostrar-vos os meus projectos mas em forma de lista,são eles:
1.construir uma Sinagoga
2.construir um Mosteiro
3. Painel Cerâmico (7 metros de cumprimento e 5 de altura)
4. CD com músicas Jazz,Soul ou Blues
5.Publicar em livro as minhas histórias,poemas
6.Ser Arquitecto
7. Fazer obras d'arte a honrar várias cidades de Portugal
8. Tira alguns cursos e mestrados de áreas que eu gosto
e
9.Fazer instalações artísticas nas ruas da Cidade do Porto.
Enfim...sonhos....uns completamente realizáveis.........outros nem por isso!
Mas eu tenho a certeza que vou conseguir realizar a maioria!
Estes sonhos/projectos não são impossíveis é preciso saber investir neles na hora certa!

quarta-feira, 8 de agosto de 2012

Ferro Ornamentado (Fotografia)

Carlos Cordoeiro
Igreja dos Congregados,Porto (Ferro Ornamentado)
Agosto 2012 (embora a data original seja do ano 2010)

Tirei esta fotografia pois admiro o trabalho do ferro...ferro ornamentado, mas também coloquei aqui a foto para prestar homenagem aos monumentos históricos da Cidade do Porto que tem belíssimos exemplos de ferro trabalhado.
Em monumentos, como igrejas,pontes,portas ou portões podem admirar com agrado um bom trabalho de ferro, por exemplo quem sobe a Rua dos Clérigos,Porto vê que na fachada da Igreja tem um portão de ferro..a própria Ponte D.Luiz I e a Ponte D.Maria Pia ambas no Porto são de ferro e claro são uma das marcas do Porto...entre outros aspectos.
A fotografia que em cima podem ver e que fui eu que tirei quis representar simbolicamente uma prisão de dia-a-dia,ou seja,embora haja um lado elegante na fotografia também transmite a sensação que uma pessoa não consegue ir para além do ferro,no fundo os nossos dias são assim,não tentamos alcançar novos horizontes e os dias são sempre iguais e repetidos..........melhor dizendo....nós conseguimos alcançar novos horizontes,caminhos,possibilidades a nível profissional,cultural,social mas fora isto somos todos iguais,fazemos todos a mesma coisa,somos todos automáticos.......logo o ferro entre outras barreiras estão a prender-nos de nós ficarmos libertos de uma sociedade que pode ser muitissimo e extremamente diversificada em várias áreas.

segunda-feira, 6 de agosto de 2012

Poema Amor Por Um Triz I

Oh mal te conheci
conheci uma pessoa querida
 amiga.poderosa,simpática
 e também com as curvas
 no sitio
 não me consideres atrevido
 apenas quero que saibas
 que estou nisto
 como tu,sabes que te adoro
sabes que te quero
é cedo,eu sei,agora mesmo nos conhecemos
mas já vi a frescura
que em ti há,como na Primavera.

Foi tudo normal
(as conversas que tinha)
fui tudo inocente
(tu sabes,sim foi)
foi tudo tão calmo
(ainda bem).
gostei da tua boca
(por apetecer beijar)
gostei do teus olhos
(por causa das cores)
gostei do teu corpo
(por um dia sonhar tocar nele)
Apenas quero eu começar
uma bonita amizade
e acho que pode nascer aqui e agora.

Autor:Carlos Cordoeiro.

Poema Amor Por Um Triz II

Sou eu,tão tímido
tão imperfeito no amor
tão incapaz
tão parvo
tão acanhado
tão exagerado,tão sentido
tão carinhoso,com a pessoa amada
tão atrapalhado
tu sabes
eu sei
nós sabemos,ó meu Deus o que faremos agora?

Era tudo perfeito
encanto,tu sabias isso
discutíamos
mas nunca ficaste chateada
sempre te quis desenhar
para mais tarde
recordar
a tua eterna juventude
beleza divina,amor e carinho.

Oh estás sempre a rir
por coisas tão simples e maravilhosas
amo-te por isso;
amo-te por seres simples
amo-te por me respeitares
amo-te por seres tão querida
amo-te por seres tão maravilhosa
simplesmente amo-te.

Autor:Carlos Cordoeiro.

Poema Amor Por Um Triz III

Fui um rapaz mau
mau rapaz fui
por não poder conquistar
apenas apreciar
e de longe elogiar.

Fui apenas
um tímido rapaz
rapaz que te elogiou sempre
que te quis sempre
que sonha contigo
que te fez sorrir...ás vezes.

Fui aquele
que tentei amar-te
e a ti pertencer
como namorado
timidamente na tua mão peguei
tu sabes ...não te esqueças
não me desiludas
continua-te perfeita.

Tu sabes da minha simplicidade
ingenuidade,timidez
só por te querer e amar
ainda não viste?
Oh,por favor faz de mim
o Homem que sonha
ter amor,esse amor vindo de ti.

Autor :Carlos Cordoeiro.

sexta-feira, 3 de agosto de 2012

Duo Ouro Negro (homenagem de Angola e África)

Quem não conhece o grupo musical Duo Ouro Negro?
Quem não conhece a música Amanhã?e a música Kurikutela?e a música Saudades de Angola?e a música Mulowa?estas e outras músicas foram ouvidas várias vezes por homens e mulheres e crianças de Angola.

Este grupo transmitia a alegria,cor,vivacidade,personalidade,potência,poder que Angola tinha e ainda tem.
Este grupo para uns caiu no esquecimento para outros não,mas confesso que é impossível ficar indiferente aos ritmos quentes da música que eles faziam.
Quem conhece África,quem conhece a música africana sabe que a música é bastante ritmada!
Eu acho que deveria se dar muitissimo mais valor a África (seja em que país for de África) a sério,estou a ser completamente sincero!
Por exemplo sociedades de Europa ou então dos E.U.A e coisas que tais exageradamente dizem que estão mal,que a politica,economia,o dia-a-dia está tudo mal mas no entanto nem sonham que numa terra africana com recursos extremamente escassos uma criança,mãe,pai,idosos mas principalmente bebés e crianças precisam de necessidades básicas!
Aos olhos de sociedades que são extremamente consumidoras não lhes importa se uma criança de África come ou não por exemplo....seria os E.U.A capaz de dar milhões e milhões de dólares para ajudar verdadeiramente África?
Eu digo E.U.A porque são uma das sociedades mais consumidores do planeta Terra.
Vá lá....não vamos fingir...todo o Mundo sabe que os humanos são egoístas por natureza e seguindo esta linha de raciocínio uma pessoa qualquer pode ir para a África mais profunda,selvagem,rural mas irá pedir qualquer coisa em troca por mais banal que seja.

A ajuda verdadeira é feita sem pedir nada em troca.


Já ouvi pessoas DE PORTUGAL a dizerem:
"Ai e tal não podemos ajudar Angola e Moçambique etc...porque cá,em Portugal há crise económica".....desde quando é que ajudar um país de África tem que ser SÓ pela via do dinheiro?
Claro que quando há campanhas de dar material para Angola tem que se PAGAR mas a ajuda não é só a parte do pagamento.....eu lembro-me de estar na primária e comprei PROPOSITADAMENTE 40 brinquedos para mais tarde serem exportados para África,acreditem mesmo!
Eu fiquei muito feliz por ajudar as pessoas,posso não as conhecer
mas elas ficaram muitissimo mais felizes do que eu e sabem porquê?
Porque elas raramente tinham,tem ou vou ter brinquedos e eu podia ter sempre que podia....quem diz brinquedos diz também MANUAIS ESCOLARES.
As pessoas....acham que têm que ter algum em troca porque só assim é que ajudaram,.....porque é que as pessoas não ajudam por livre vontade?porquê?
Seu fosse uma pessoa rica ajudaria legalmente vários povos de África,não para ficar bem visto..nada disso!simplesmente gostaria de ajudar!
Nós,Portugal assim como outros países desenvolvidos comemos todos os dias,bebemos todos os dias etc...etc...etc...MAS um simples pedaço de pão que nos pareçe banal a um menino africano é como uma refeição inteira.
Não querendo parecer injusto talvez as pessoas que dizem que não conseguem ou não podem ajudar são aquelas pessoas RACISTAS.
Sim....ser racista infelizmente é um passo para não ajudar outras culturas,povos,sociedades etc.

Autor do texto crítico: Carlos Cordoeiro.